Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

São Paulo vacila mais uma vez

Time fica no 0 a 0 com o Sport, no Recife, e perde chance importante de subir na tabela de classificação

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

22 de setembro de 2008 | 00h00

Era a grande chance para vencer e reacender de vez o sonho do tricampeonato brasileiro. Mas o São Paulo tinha pela frente o Sport, invicto contra times paulistas na Ilha do Retiro este ano. Os donos da casa mantiveram a escrita e os visitantes saíram frustrados de mais um jogo fora. Em partida franca, mas sem efetividade no ataque, o empate por 0 a 0 no Recife foi resultado justo, mas ruim para os são-paulinos, que desperdiçaram a chance de subir para a quarta posição na tabela.Para tentar acabar com o jejum de vitórias no campo adversário - o último resultado positivo foi um 3 a 1 contra o Vitória, em Salvador, há mais de dois meses -, a primeira providência do técnico Muricy Ramalho foi repetir seu esquema tático preferido, o 3-5-2, e a defesa, com Rodrigo, André Dias e Miranda, vista como diferencial na vitória sobre o Flamengo (2 a 0), semana passada. A segurança atrás preocupava o treinador porque a torcida do Sport pressiona o time durante todo o tempo e os jogadores se jogam ao ataque. A estratégia funcionou: a defesa são-paulina mostrou eficiência ao evitar as infiltrações de Enilton, Wilson e Carlinhos Bala. O problema, no entanto, foi o ataque, que não fez sua parte: pouco produziu, apesar do espaço disponível e, quando chegou ao gol, pecou nas finalizações. Aos 31 minutos, Hugo avançou pela esquerda e chutou rasteiro na trave. Com o gol escancarado à frente, o atacante André Lima ?furou? na hora de chutar e perdeu o rebote. Muricy, à beira do gramado, virou de costas para o jogo sem acreditar no que acabara de acontecer. Típica oportunidade que um time com pretensão de ser campeão não poderia perder. "A gente não teve muita dificuldade", diagnosticou Hugo, no intervalo. "Precisávamos ter apertado mais para conseguir marcar o gol." Falar foi fácil. Já cumprir... No segundo tempo, o São Paulo ficou mais tempo no ataque do que no primeiro. Apertou o adversário, como queria Hugo, enquanto Hernanes acertou mais passes e comandou o time no setor ofensivo mas, de novo, faltou afinar a pontaria. Dagoberto chutou para fora, André Lima exibiu uma bicicleta inofensiva da meia-lua da área e Hugo continuou pouco efetivo nas conclusões. O Sport também tentou o gol, sem sucesso. Nada de bola na rede.O São Paulo terá uma semana para trabalhar antes da partida contra o Cruzeiro, adversário direto por uma vaga na Taça Libertadores-2009, domingo, no Morumbi. Tempo para se preparar para, quem sabe, embalar de vez no Brasileiro. Há algum tempo o time tenta manter esta esperança. Faltam ainda 12 rodadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.