São Paulo vai poder jogar ''em casa''

Clube havia perdido o mando de campo nas quartas de final, mas consegue efeito suspensivo e recebe a Lusa na Arena Barueri, no domingo, às 16 horas

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2011 | 00h00

O regulamento do Campeonato Paulista proporcionou uma primeira fase longa e desinteressante, principalmente na reta final, com os grandes clubes já classificados e optando por escalações alternativas. Após 19 rodadas, terminar com a melhor campanha rendeu, apenas, o mando de campo. E o São Paulo conseguiu ontem reverter a perda de um deles. Até a renda será fatiada com os visitantes (o vencedor leva 60%). A única vantagem é que o mandante terá a maioria de torcedores.

Curiosamente, dos oito garantidos, apenas Santos e Corinthians poderão definir vaga em sua casa, Vila Belmiro e Pacaembu, respectivamente. São Paulo, dono da melhor campanha (conseguiu efeito suspensivo na perda de um mando), preservará o Morumbi para a estreia de Luís Fabiano e vai jogar em Barueri, enquanto o Palmeiras, com a reforma do Palestra Itália, jogará no Pacaembu, onde não se identificou na temporada.

Ontem, na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF), ficou definido que Corinthians e Santos, os dois últimos campeões, jogam no sábado. Os santistas abrem as quartas de final diante da Ponte Preta, às 16 horas. Serão, portanto, apenas dois dias de preparação para o embate com o time mais regular do interior, uma vez que amanhã decide uma vaga na Libertadores, no Pacaembu. O Santos pediu para atuar no sábado, justamente para ter mais tempo para o duelo das oitavas da Libertadores, no dia 27 - suas chances de avançar são excelentes.

Sem desfalques. Na defesa da taça estadual, o técnico Muricy Ramalho poderá contar com todo o elenco. Com força máxima, espera acabar com a invencibilidade da Ponte Preta diante dos grandes, dona de vitórias contra São Paulo, Corinthians e Palmeiras e que só cedeu a igualdade aos santistas, por 2 a 2, nos minutos finais da partida do Moisés Lucarelli, em Campinas.

Pouco depois de o Santos entrar em campo, será a vez de o Corinthians receber o Oeste, às 18h30. Na teoria, o confronto do Alvinegro é o mais tranquilo entre os grandes, pois encara um rival do qual ganhou fácil, por 3 a 0. Curiosamente, a partida marcou a classificação corintiana e o último gol do artilheiro Liedson, há três rodadas sem marcar. Seriam quatro, mas ele acabou poupado no domingo.

Anfitriões sem teto. Domingo é a vez de ver em ação São Paulo e Palmeiras, os times mais regulares do Paulista. Com atenção dividida pela participação na Copa do Brasil, as equipes têm duelos de opostos. O Tricolor, primeiro colocado, fará o clássico com a Portuguesa, o que não deixou o goleiro Rogério Ceni nada satisfeito com o regulamento. "Não culpo a Federação, mas quem fez o regulamento. Como não dá para fazer jogos de ida e volta, ao melhor (time) deveria valer ao menos o empate", disse, em entrevista à Band. O técnico Paulo César Carpegiani também criticou o regulamento e chegou a ser ameaçado de suspensão pela FPF. Na primeira fase, o goleiro marcou um gol no apertado triunfo de 3 a 2 e fez belas defesas. O confronto das quartas será às 16 horas, na Arena Barueri.

Às 18h30, no Pacaembu, o Palmeiras pega o Mirassol, que ainda não ganhou de um grande em três anos na Série A. O time de Felipão tem boas lembranças daquele duelo. Com a vitória por 1 a 0 na sexta rodada, gol de Patrik, o Alviverde chegou à liderança do Estadual. Placar apertado que promete partida mais equilibrada. Mas, no jogo da primeira fase, o time da capital jogou sem Marcos, Danilo, Marcos Assunção, Valdivia, Lincoln e Kleber, o que sugere, ao otimista palmeirense, menos trabalho.

Pênaltis. Aos vencedores, além da vaga nas semifinais, serão destinados 60% da renda - 40% ao derrotado. Em caso de empate, a decisão será em cobranças de pênaltis. Caso os quatro grandes avancem, São Paulo e Palmeiras seguem com vantagem. Os pontos da primeira fase valem só para a final, contados apenas para definir o mando da decisão. Nas semifinais, a pontuação da primeira fase (classificatória), concluída no domingo, segue como referência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.