FOTO JOSE PATRICIO/ESTADÃO
FOTO JOSE PATRICIO/ESTADÃO

São Paulo vê queda na arrecadação no Morumbi no Paulistão

Clube tem o pior balanço financeiro entre os quatro grandes no final do Campeonato Paulista

Matheus Lara, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2018 | 07h00

Terminado o Campeonato Paulista, quando a equipe caiu nas semifinais, nos pênaltis, para o campeão Corinthians, o São Paulo é o grande com pior balanço financeiro no Estadual deste ano, em comparação ao torneio do ano passado. O clube do Morumbi viu suas médias de público e arrecadação caírem 40% e o lucro por partida ser em média quase a metade que no Paulistão do ano passado, quando também caiu na semifinal. O Estado fez o levantamento dos dados com base nos registros financeiros de todas as partidas do torneio até aqui.

+ Tréllez busca afirmação no ataque do São Paulo

+ Diego Souza fica fora da estreia do São Paulo na Copa Sul-Americana

Para os nove jogos em casa no Estadual deste ano, o São Paulo vendeu 158,6 mil ingressos, uma média de 19,8 mil por jogo. Bem abaixo da média de 33,3 mil torcedores que assistiram às também nove partidas do clube tricolor no Morumbi em 2017, impulsionados pelas contratações de Lucas Pratto e pela chegada do ídolo Rogério Ceni ao comando tricolor.

O Morumbi esvaziado em alguns jogos deste ano, como na vitória por 3 a 1 sobre o Red Bull Brasil em que o estádio registrou menos de 10 mil pagantes, contrasta com o fim da temporada anterior, em que o São Paulo registrou os cinco maiores públicos do Brasileirão na reta final do torneio, mesmo correndo o risco de ser rebaixado.

O São Paulo também registrou neste ano uma redução de 40% na arrecadação das partidas. No Estadual do ano passado, o clube tinha renda bruta de R$ 904 mil, em média, por partida. Neste ano, o valor registrado é de R$ 547 mil. Já a renda líquida média por jogo caiu quase pela metade. Era de R$ 591 mil em 2017 e neste ano foi de R$ 317 mil.

Oposto à situação do São Paulo, o Palmeiras foi quem tem o melhor desempenho financeiro ainda faltando um jogo para "fechar a conta". Ainda assim, a melhora foi modesta. Em oito jogos até agora - sete no Allianz Parque e um no Pacaembu, assim como no ano passado, quando não chegou à final -, o clube alviverde viu as médias de seu público pagante e sua arrecadação aumentarem 5% do Estadual de 2017 para o deste ano. O lucro por partida é muito parecido nos dois anos: cerca de R$ 1 milhão em média.

O outro finalista da edição deste ano também conseguiu manter os bons números de 2017. Com três jogos no Pacaembu e cinco na Arena (o borderô da ida da final ainda não foi disponibilizado pela federação), o Corinthians registrou uma média de público apenas 3% menor que a do ano passado, de 27,5 mil pagantes por partida. As rendas bruta e líquida por jogo também foram, em média, menores neste ano: 15% e 8%, respectivamente. A variação é pequena, levando-se em conta que no ano passado todos os mandos do time alvinegro foram em sua casa, a Arena Corinthians.

Mesmo com mais jogos disputados no Pacaembu neste ano (foram três ocasiões, contra apenas uma em 2017), o Santos registrou aumento de, em média, apenas 5% na venda de ingressos. Saltou de 11,6 mil torcedores por jogo em 2017 para 12,3 mil. Ainda registrou 27,5% menos arrecadação e 31,3% menos lucro por partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.