Sarah Menezes e Erika Miranda ficam em 5.º em Paris

Judocas brasileiros terminaram o primeiro dia do Grand Slam na França sem nenhuma medalha

AE, Agencia Estado

06 de fevereiro de 2010 | 17h08

Os judocas brasileiros terminaram o primeiro dia do Grand Slam de Paris sem nenhuma medalha. Os melhores resultados deste sábado foram conquistados pela ligeira Sarah Menezes (até 48 quilos) e pela meio-leve Erika Miranda (até 52 quilos), que chegaram nas quartas de final e terminaram na quinta colocação.

Depois de vencer sua primeira luta contra a francesa Laetitia Payet por yuko, Sarah Menezes perdeu por wazari para a coreana Jung-Yeon Chung. Na mesma categoria, Daniela Polzin perdeu por ippon para Jung-Yeon Chung.

"Foi a segunda vez que peguei a coreana, a primeira tinha sido no Mundial de Roterdã, quando perdi na decisão dos árbitros. Dessa vez me senti melhor na luta, mais forte, e acho que ela também viu isso. Perdi o combate mas poderia ter vencido também", analisou Sarah Menezes.

Já Erika Miranda conseguiu boa vitória por ippon sobre a holandesa Kitty Bravik, mas perdeu na sequência por yuko para a japonesa Misato Nakamura. "Acho que de forma geral todas nós tivemos um resultado positivo e estamos conseguindo nos adaptar às novas regras e a entender a arbitragem", afirmou Erika. Ainda na categoria meio-leve, Andressa Fernandes foi derrotada pela espanhola Ana Carrascosa após vencer a primeira luta.

Medalhista olímpica, Ketleyn Quadros venceu por yuko a alemã Hannah Brueck, na categoria leve (até 57 quilos). Mas perdeu por ippon nas oitavas para a húngara Hedvig Karracas. Já Mariana Silva (até 63 quilos) foi derrotada na primeira luta por wazari para a israelense Yarden Gerbi.

No masculino, os homens ficaram ainda mais distante do pódio. Breno Alves e Ricardo Ayres (até 60 quilos) perderam na primeira luta, enquanto Alex Pombo (até 66 quilos) e Marcelo Contini (até 73 quilos) foram eliminados na segunda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.