Sarah Menezes e Rafaela Silva ficam sem medalha na Coreia; Takabatake é bronze

Precisando se recuperar após um ano muito ruim, Rafaela Silva e Sarah Menezes ficaram sem medalha no Grand Prix de Jeju, que começou a ser disputado nesta sexta-feira na Coreia do Sul. As duas, que estão entre os grandes nomes do judô brasileiro, chegaram até a decisão do bronze, mas perderam a luta e terminaram em quinto. Só Eric Takabatake subiu ao pódio, em terceiro.

Estadão Conteúdo

26 Novembro 2015 | 11h53

Ainda assim, Sarah se despediu do torneio mais perto da vaga olímpica. A outra brasileira da categoria até 48kg, Nathalia Brígida, perdeu logo na estreia, para a forte cubana Dayaris Mestre Alvarez, campeã dos Jogos Pan-Americanos.

Com esses resultados, Sarah deve ultrapassar Nathalia no ranking olímpico na atualização da próxima segunda-feira. A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) abriu o confronto direto entre as duas pela titularidade da seleção e tanto Sarah quanto Nathalia voltam a lutar na semana que vem, no Grand Slam de Tóquio, último do ano.

Em Jeju, Sarah foi beneficiada pelo sorteio, caindo numa chave mais tranquila. Venceu a alemã Sonjia Wirth (43.ª do ranking mundial), a taiwanesa Yu Ting Hung (49.ª) e a turca Dilara Lokmanhekim (10.ª). Na semifinal, perdeu para a casaque Otgontsetseg Galbadrakh (34.ª), ficando sem medalha após derrota para a sul-coreana Kyeong Bo Jeong (13.ª).

Também nas categorias masculinas até 100kg (que terá disputas no domingo) e até 60kg a CBJ abriu a corrida olímpica e levou os dois concorrentes tanto para Jeju quanto para Tóquio. Entre os ligeiros veio a única medalha do dia, de bronze, com Eric Takabatake.

Ele disputa a vaga no Rio-2016 com o medalhista olímpico Felipe Kitadai e vai ampliar a folga sobre o rival. Nesta sexta, para chegar à medalha, venceu o russo Albert Oguzov (53.º) e o indiano Kumar Yadav Vijay (sem ranking), antes de perder para o campeão mundial Boldbaatar Ganbat, da Mongólia. Na repescagem, superou Ilgar Mushkiyev (16.º), do Azerbaijão. e Vincent Limare (13.º), da França.

"Estou muito feliz com o resultado, por que foi uma competição de nível bem alto. Me senti bem e consegui soltar meus golpes. Agora tem Tóquio, que provavelmente vai estar com um nível igual ou maior que na Coreia. Mas, essa medalha me trouxe bastante confiança para lutar o Grand Slam", avaliou Takabatake. Felipe Kitadai, seu Rival direto, perdeu na segunda luta para o egípcio Ahmed Abelrahman, apenas o 189.º do mundo.

Rafaela Silva, que havia perdido na primeira rodada de três dos quatro torneios mundiais que disputou no ano, chegou até a disputa pelo bronze na categoria até 57kg, mas venceu apenas duas lutas para isso. Estreou ganhando da espanhola Jaione Equisoain (40.ª), perdeu da britânica Nekoda Davis (16.ª), se recuperou na repescagem contra a brasileira naturalizada israelense Camila Minakawa (32.ª) e ficou sem a medalha ao perder para a taiwanesa Chen-Ling Lien (11.ª).

Rafaela é apenas a 25.ª colocada no ranking olímpico, mas praticamente não tem concorrentes por uma vaga no Rio-2016. A outra brasileira com resultados na categoria era Ketleyn Quadros, que agora luta entre as atletas de até 63kg. Ketleyn e Bárbara Timo (até 70kg) representam o Brasil em Jeju no sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.