Saretta responde com ouro a quem o chama de argentino

Vitória por 2 a 1 sobre o chileno Adrián Garcia, em torneio marcado por confusão

Vinicius Saponara, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2030 | 00h00

Após receber a medalha de ouro, a última do Brasil no Pan, com a sofrida vitória sobre o chileno Adrián Garcia por 2 sets a 1 - com parciais de 6/3, 4/6 e 7/6 (7/2) -, o tenista Flávio Saretta fez questão de lembrar de um episódio desagradável que lhe ocorreu em fevereiro passado: ele disputava o Brasil Open, na Costa do Sauípe, e torcedores o chamaram de argentino. Isso o magoou muito na época.''''Dedico esse título para o Brasil inteiro. Contra o Guga (Gustavo Kuerten), lá na Bahia, muitos brasileiros me chamaram de argentino'''', afirmou, rindo do fato, após a conquista do ouro. ''''Dei tudo em quadra para mostrar que sou brasileiro e que adoro representar o meu país. Acho que deixei o dia de todos os brasileiros mais feliz.''''E ele mostrou, de fato, que deu o melhor de si durante a decisão: venceu com certa facilidade o primeiro set, mas se complicou e cometeu erros bobos no seguinte. A decisão foi para o terceiro set.Numa partida nervosa e com nível técnico apenas regular - Saretta é o atual número 139 do mundo e Garcia, o 141 -, o que se viu muito em quadra foi o desperdício de muitas bolas fáceis. Em duas delas, o chileno tinha o ponto do jogo e sucumbiu à pressão, sem conseguir fechar o duelo. ''''Fico muito feliz de ter tido sorte e competência para virar uma situação adversa e ganhar'''', afirmou. Como todo atleta brasileiro, sentiu a pressão para ganhar o título em casa. ''''Mas me superei, tive uma semana especial aqui no Rio e estou muito satisfeito.''''A vitória de Saretta sobre Adrián Garcia repete o resultado conquistado nos Jogos de Santo Domingo. Na ocasião, Fernando Meligeni se despediu com o ouro num jogo épico contra Marcelo Ríos. ''''Lembro dessa partida. Estava no Brasil e torci muito. Até hoje, quando revejo o jogo, acho que o Fininho (apelido de Meligeni) vai perder'''', brincou o novo campeão.DESACERTOSCom em outros momentos do Pan, a organização do torneio de tênis deixou a desejar e frustrou os torcedores. Com quatro quadras e uma arena descobertas, no Clube Marapendi, na Barra da Tijuca, a disputa ficou exposta ao tempo ruim. No sábado, a chuva castigou a cidade e o bronze foi definido numa quadra coberta bem longe dali.Na decisão do ouro, a organização insistiu no Clube Marapendi e deu-se mal de novo. Também ela foi transferida em cima da hora, deixando indignada a torcida que pagou ingresso e nada viu. Saretta bateu o chileno Garcia numa quadra coberta, mas sem placas do Pan nem o nome dos tenistas no placar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.