Sauber leva para a pista o escudo do Chelsea

Escuderia inglesa espera que a torcida corintiana não pegue no pé dos seus pilotos no fim de semana

O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2012 | 02h11

Boa parte dos brasileiros, em especial a torcida do Corinthians, tem fortes motivos para "secar" os carros da Sauber - que são pilotados pelo mexicano Sergio Perez e o japonês Kamui Kobayashi. Motivo: o cockpit dos monopostos ostenta o escudo do Chelsea, principal rival do time paulista no Campeonato Mundial de Clubes que será disputado em dezembro no Japão.

Na Sauber, a possibilidade de uma rejeição por parte de um grande número de torcedores brasileiros por causa da rivalidade futebolística não preocupa nem um pouco.

"O Chelsea é um de nossos patrocinadores e vamos mostrar o escudo com orgulho", garante a sócia e diretora geral da escuderia, Monisha Kaltemburg. Mas ela não esconde uma certa torcida para que os brasileiros nas arquibancadas não associem o Mundial de Clubes com a Fórmula 1 em Interlagos.

Monisha diz que a Sauber, embora não tenha piloto lutando pelo título mundial, tem uma missão importante no Brasil. Se o time conseguir um bom resultado na prova, pode garantir a quinta colocação no Mundial de Construtores.

"Não será fácil. Uma série de coisas terá de dar certo para que isso aconteça, mas se conseguirmos isso poderá significar melhores acordos com patrocinadores na próxima temporada."

A Sauber está em sexto lugar com 124 pontos, 12 atrás da Mercedes. A quarta colocada é a Lotus, bem à frente com seus 302 pontos. E em sétimo está a Force India com 99.

A associação entre Chelsea e Sauber existe desde abril. Para a imprensa britânica, o chefe executivo da equipe inglesa, Ron Gourlay, disse que a parceria foi formada como o objetivo de promover a marca do time de futebol internacionalmente.

Aparentemente tem dado tão certo que o dirigente garante a continuidade do acordo com a escuderia suíça no ano que vem.

Os valores, segundo ele, serão bancados por uma empresa cujo nome só será revelado em dois meses. Ela apoiará o Chelsea e a Sauber simultaneamente.

Zebra? A princípio o torcedor brasileiro não teria maiores motivos para se preocupar com a chance de uma vitória da escuderia suíça no Brasil, mas a previsão do tempo tem divulgado que a possibilidade de chuva no fim de semana em Interlagos é muito grande.

Sob essa condição já aconteceram resultados improváveis em Interlagos, como a vitória do italiano Giancarlo Fisichella em 2003 com a Jordan.

Sergio Perez ainda não chegou ao lugar mais alto do pódio, mas já conseguiu bons resultados na temporada. Ele chegou em segundo lugar na Malásia e em Monza./V.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.