Scheidt aprende na Regata Santos-Rio

Hexacampeão mundial da Classe Laser, o iatista Robert Scheidt é a estrela da regata mais tradicional e competitiva da vela oceânica brasileira, a Santos-Rio, que terá sua largada nesta sexta-feira, às 12h, na Baía de Santos. Sem mais compromissos em sua categoria principal, ele aproveita para trabalhar o espírito de equipe no trimarã baiano "Adrenalina Pura".Cerca de 50 veleiros irão percorrer as 220 milhas náuticas (396 quilômetros) que separam Santos do Rio de Janeiro. Em uma embarcação rápida, Scheidt deve buscar o novo recorde da regata, pertencente a Torben Grael, com o barco "PoliBrasil", que perdura desde 1995: a marca é de 21h25min05.No ano passado, Scheidt também participou da regata à bordo do "Adrenalina Pura", um catamarã muito rápido, de 64 pés, que criou polêmica com os outros competidores. Eles questionavam o fato de o catamarã ser um multicasco com capacidade para desenvolver uma velocidade não compatível com a dos monocascos."Gosto de velejar na Classe Oceano para aumentar meu conhecimento sobre o mar e aprender a hierarquia dentro do barco. Isso é muito importante. É preciso saber trocar as velas, dependendo dos ventos, por exemplo. Esse tipo de experiência é muito enriquecedora", explica Scheidt, que será o tático da equipe.O velejador espera que os ventos colaborem para uma regata rápida, porque faz questão de votar no domingo. Logo após a prova de Santos, Scheidt volta a atenção para o Circuito do Rio de Janeiro.Além de Scheidt, o evento contará com a participação dos mais experientes velejadores do País, comandando grandes veleiros. Do Iate Clube de Santos, Gastão Brum comanda o "Pajero TR4", de Eduardo Souza Ramos, que ficou na terceira posição na edição do ano passado. O Iate Clube do Rio de Janeiro também terá representantes de peso: o "www.saling.com.br" e o "Sorsa", comandados por Marcos Soares e Eduardo Penido (ambos medalha de ouro nas Olimpíadas de Moscou, em 1980), e o "Curupira", comandado por Mark Esle, já estão confirmados. Outro destaque é Lars Grael, que vai a bordo do veleiro "Climakix".O veleiro "Cisne Branco", da Marinha do Brasil, já está ancorado em Santos para a competição. A embarcação foi incorporada à armada brasileira em março de 1999, em Lisboa, Portugal. Construído no estaleiro Damen, em Amsterdã, Holanda, teve o batismo de quilha em agosto do mesmo ano. Além da instituição de aspirantes da Escola Naval, o "Cisne Branco" representa o Brasil em diversos eventos náuticos e regatas internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.