Scheidt busca 7º título mundial na laser

Robert Scheidt e a última parte da delegação brasileira, que vão disputar o Campeonato Mundial de Cadiz, a ser oficialmente aberto quinta-feira, embarcaram segunda-feira para a Espanha. Scheidt chega como a principal estrela brasileira: busca o sétimo título mundial na Classe Laser. Na categoria de Scheidt estão inscritos 172 barcos. "Ao lado do Pan-americano de Santo Domingo, o Campeonato Mundial sempre foi minha prioridade este ano. Já conheço a raia, e sei que preciso estar preparado para todos os tipos de ventos, sejam aqueles vindos da terra ou do mar", disse o iatista de 30 anos. O velejador brasileiro foi campeão em Tenerife/95; Cidade do Cabo/96; Algarrobo/97; Cancún/2000; Cork/01 e Cape Cod/02. Este ano estão programadas 11 regatas, e será permitido somente um descarte. "Os três primeiros dias serão classificatórios para a flotilha ouro, que será disputada entre os dias 22 e 24. O importante é manter a regularidade no início do campeonato, mas a fase final é que vai definir o campeão." Para Scheidt, é essencial manter os pés no chão. "Estou bastante confiante para o Campeonato Mundial, e, na verdade, embalado pelos últimos resultados que obtive. Preciso fazer o que estou acostumado e manter sempre a humildade." Com ele, outros quatro brasileiros estarão competindo na classe Laser no Mundial: Leonardo de Carlos Back, Bruno Fontes, André Streppel e Mateus Tavares. Além da Classe Laser, todas as outras oito classes olímpicas (Star, Mistral, 49er, Tornado, Finn, 470, Yngling e Europe) participam do Mundial. O Brasil terá 33 entre os quase dois mil inscritos de 50 países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.