Scheidt e Lars revelam estratégia para o Mundial de Star

Adversários no Mundial de Star, que começará a ser disputado oficialmente no sábado, no Rio de Janeiro, os brasileiros Robert Scheidt e Lars Grael terão estratégias semelhantes na competição. Os dois velejadores, que apostam em uma disputa equilibrada, acreditam que a regularidade de resultados nas regatas será fundamental na luta pelo título.

AE, Agencia Estado

15 de janeiro de 2010 | 16h37

"Poderia falar os nomes de umas 15 duplas em condições de vencer aqui no Rio", disse Scheidt. "A concorrência não será fácil e, por isso, a intenção é ter cautela na largada para não escapar e acabar tomando uma punição. O campeonato tem apenas seis regatas e vamos precisar de muita concentração", completou.

O nível de disputa no Rio de Janeiro deve ser elevado já que a competição, já que 11 dos velejadores inscritos já foram campeões mundiais na classe Star. Atuais campeões, os norte-americanos George Szabo e Rick Peters vão defender o título no Brasil.

Terceiro lugar no Mundial de 2009, realizado na Suécia, Lars Grael considera ser impossível prever o resultado da competição. "A primeira regata tem tudo para ser equilibrada porque a previsão é de vento fraco. É impossível apontar um favorito", disse Lars, que já está com a estratégia traçada. "São apenas seis regatas e a regularidade é fundamental."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.