Scheidt e Prada iniciam luta pelo bicampeonato mundial

Dupla brasileira começa nesta sexta-feira disputa da classe Star nos Estados Unidos

Agência Estado,

10 de abril de 2008 | 18h25

Já classificados para representar o Brasil na Olimpíada de Pequim, em agosto, Robert Scheidt e Bruno Prada terão um grande desafio a partir desta sexta-feira, quando começa o Mundial da classe Star, em Miami, nos Estados Unidos. Atual campeã - venceu no ano passado, em Portugal -, a dupla de iatistas brasileiros vai em busca do bicampeonato. O Mundial da classe Star terá um total de seis regatas, sendo uma por dia - a exceção é na segunda-feira, quando haverá descanso geral. Ao todo, são 115 duplas participantes, de 32 países diferentes, e o Brasil terá seis representantes: Robert Scheidt/Bruno Prada, Peter Ficker/Arthur Lopez, Lars Grael/Marcelo Jordão, Alan Adler/Ricardo Ermel, Gastão Brun/Fábio Kraiczyk e Alessandro Pascolato/Henry Booning - o brasileiro Marcelo Ferreira também vai competir, ao lado do espanhol Roberto Bermudez.  Scheidt e Prada, no entanto, estão entre os favoritos ao título. Eles irão disputar o quarto Mundial de Star juntos, sendo que, além de terem sido campeões no ano passado, conseguiram um vice em 2006 (São Francisco, nos EUA) e um sexto lugar em 2005 (Buenos Aires, na Argentina). E ocupam atualmente a sexta posição no ranking mundial da classe. "O Mundial é muito importante para nós, atrás apenas da Olimpíada. Tentaremos defender o título com força total, mas sabemos das dificuldades, principalmente devido ao grande número de competidores", afirmou Scheidt, que começa agora a colecionar títulos na Star, depois de ter sido bicampeão olímpico e octocampeão mundial na classe Laser. "Esse Mundial é completamente diferente da Olimpíada, que terá apenas 16 barcos na água. Já o nível será o mais forte de todos os tempos, com as 11 duplas já garantidas nos Jogos, além de outros grandes nomes da vela atual", avisou Bruno Prada, apontando os poloneses Mateusz Kusznierewicz e Dominik Zycki e os franceses Xavier Rohart e Pascal Rambeau como os principais adversários. Assim, para conseguir o bicampeonato, a dupla brasileira está treinando em Miami há dez dias. "Trabalhamos as regulagens do barco e testamos diversas velas, com o objetivo de otimizar nossa velocidade nas diversas condições de vento. Tentaremos ser mais conservadores no início, mas também não muito, pois uma largada ruim custa caro demais e fica difícil recuperar", contou Scheidt.

Tudo o que sabemos sobre:
Robert Scheidtvela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.