Scheidt e Prada retomam liderança na classe Star de vela

Dupla vence as duas regatas do dia e retomaram a ponta da classificação geral; Lars Grael em segundo

Leonardo Maia, Agência Estado

12 de fevereiro de 2008 | 20h02

Depois do susto, a recuperação. Favoritos para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequim, Robert Scheidt e Bruno Prada se recompuseram de uma péssima segunda-feira com sólida performance no quarto dia de disputa da Seletiva Brasil de Vela, que se realiza na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, e indicará os atletas brasileiros que irão à China. A dupla venceu as duas regatas do dia e retomaram a ponta da classificação geral. Lars Grael e Marcelo Jordão tiveram uma jornada ruim e caíram na tabela. Depois de uma segunda colocação na primeira regata, os dois foram mal na largada para a segunda disputa do dia e chegaram a montar a primeira bóia em último lugar, terminando apenas em quinto."Desta vez, saí da água especialmente feliz porque mostramos poder de reação depois de um dia complicado. Mas nada está definido, principalmente porque o Lars e o Marcelo estão velejando muito bem. Temos consciência de que somos a dupla a ser batida", comentou Scheidt.Aos 34 anos, o velejador é o maior vencedor olímpico brasileiro em modalidades individuais, com duas medalhas de ouro (Atlanta/96 e Atenas/2004) e uma de prata (Sydney/2000) na classe Laser. "Continuamos sofrendo com a inconstância da correnteza e os ventos muito fracos", reclamou o proeiro Bruno Prada, que busca chegar à primeira Olimpíada da carreira.Com os resultados, Scheidt e Prada, com 15 pontos perdidos, abrem três de vantagem sobre Grael e Jordão. A disputa deverá permanecer acirrada até sexta-feira, último dia de competição. Está previsto um máximo de 14 regatas, mas a partir da 11ª os dois piores resultados obtidos poderão ser descartados.Na classe Finn, Eduardo Couto obteve dois segundos lugares e manteve a ponta, mas o jovem Jorge João Zarif, de apenas 15 anos, continua em sua cola. Couto tem 16 pontos contra 19 de Zarif. Na prancha à vela (RS:X) feminina, Patrícia Freitas manteve o predomínio sobre as adversárias, com duas vitórias nas duas regatas realizadas ontem e lidera com confortável vantagem sobre Patrícia Castro, que ultrapassou Catarina Freitas - irmã da líder - na classificação geral e agora é a segunda colocada. Patrícia Freitas conta 13 pontos perdidos, contra 19 da xará Castro.A seletiva já conheceu os representantes em duas categorias. Na prancha à vela masculina, Ricardo Winicki - que havia questionado a necessidade da seletiva para sua classe pois só enfrentaria Albert Lopes, seu aluno - foi nomeado o classificado para as Olimpíadas, depois de vencer as seis regatas realizadas até segunda e entrar em acordo com o pupilo.Na 470 feminina, Fernanda Oliveira e Isabel Swan já estão classificadas desde sábado, uma vez que não houve outros barcos inscritos. Elas, no entanto, permanecem na cidade, e treinam em separado.Fábio Pillar e Samuel Albrecht são os representantes na classe 470 masculina desde o mês passado, quando garantiram a vaga no mundial da categoria, disputado na Austrália. Mesmo caso de André Fonseca e Rodrigo Duarte, já garantidos na 49er.Daqui a duas semanas começa a seletiva para a classe Laser, no dia 22, também na Baía de Guanabara. O favorito à vaga brasileira é Bruno Fontes, que está em 11º lugar no mundial disputa em Terrigal, na Austrália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.