Scheidt e Torben concorrem a prêmio

De dez candidatos ao título de melhor velejador do ano para a Isaf - Federação Internacional de Vela -, dois são brasileiros: os bicampeões olímpicos Torben Grael (com o proeiro Marcelo Ferreira, dupla da classe Star) e Robert Scheidt (da Laser). As indicações são pela performance entre 1º de setembro de 2003 e 31 de agosto deste ano - incluindo a Olimpíada de Atenas. Agora, serão recolhidos os votos de Federações Nacionais e os resultados (masculino e feminino), apresentados na cerimônia de 9 de novembro, em Copenhagen, Dinamarca.Robert Scheit já foi eleito o melhor do mundo em 2001. Agora, depois de um ano sem perder nenhuma das 12 competições que disputou (incluindo chegar a um inédito sétimo titulo mundial e a seu segundo ouro olímpico), ele novamente tem grandes chances.Mas concorrerá também com Torben, que não teve temporada tão boa na Star, mas ganhou o título olímpico por antecipação em uma classe muito concorrida. Além disso, é hoje o único velejador da história com cinco medalhas olímpicas.Scheidt voltou de Atenas e ainda não parou. Nem chegou a recuperar os quilos perdidos antes da Olimpíada de agosto. "Puxado" pelo proeiro Bruno Prada, já somou mais dois títulos no ano invicto, agora de Star, e neste fim de semana veleja em Santos.Ele está animado com a disputa de vaga para o Mundial de Star, que acontece em Buenos Aires, em janeiro (no ano que vem, também estará no Mundial da Laser em Fortaleza, em setembro).Para Robert Scheidt, com metas bem definidas e determinado em seus treinamentos, 2005 não deverá ser um ano fácil em questão de decisões. No mar, ainda estará na Laser - onde, assegura, segue motivado e "com gás" -, mas ao mesmo tempo quer competir de Star, "com toda a pilha" colocada por Bruno Prada. E não deixará de lado eventuais participações em regatas da vela oceânica. Mas uma hora terá de decidir a classe em que competirá na Olimpíada de Pequim/2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.