Scheidt lamenta morte de velejador

O brasileiro Robert Scheidt, pentacampeão mundial da classe Laser e eleito em novembro o melhor iatista do mundo de 2001, ficou chocado nesta quinta-feira com a notícia do assassinato do velejador neozelandês Peter Blake, ocorrido por volta das 23 horas de quarta-feira em Macapá, no Amapá. ?É uma tristeza enorme que um fato absurdo como este ocorra justamente no Brasil?, lamenta. ?O Peter era um verdadeiro mito em seu país e uma das figuras mais respeitadas da vela e é uma pena que uma tragédia dessas prejudique a imagem do país no exterior.?Scheidt torce para que os culpados sejam presos e paguem pelo crime que cometeram. ?A comunidade internacional da vela, certamente, está revoltada com o acontecimento e o que temos de pedir é justiça?, diz. ?Esta violência é assustadora.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.