Scheidt pretende ter cautela no Mundial de Star

A programação oficial do Mundial da classe Star começou nesta terça-feira, com a medição dos barcos participantes no Iate Clube do Rio de Janeiro. Mas a primeira regata será disputada apenas no sábado, na Baía de Guanabara. E o velejador brasileiro Robert Scheidt, um dos favoritos ao título, já revelou sua estratégia para a competição: cautela.

AE, Agencia Estado

12 de janeiro de 2010 | 18h12

Campeão mundial da classe Star em 2007, Scheidt forma com o proeiro Bruno Prada um das 81 duplas que disputarão a edição deste ano do campeonato. E ele prevê muito equilíbrio. "As regatas são muito longas, com cerca de 2h30 cada uma, mas são apenas seis e, por isso, valem muito. Vai ser perigoso arriscar demais e ficar lá atrás. Aí, a recuperação será mais difícil", explicou.

Dessa maneira, Scheidt prometeu adotar uma tática conservadora nas regatas, para ficar sempre entre os dez primeiros colocados. "Quem conseguir esse equilíbrio, ganhará o campeonato", avisou o velejador brasileiro, que disse ter feito uma boa e intensa preparação junto com Bruno Prada. "Os treinos foram muito bons. Confiamos em nossa velocidade e entrosamento."

Tudo o que sabemos sobre:
velaMundial de StarRobert Scheidt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.