''Se vacilarem, eu vou pontuando no ataque, bloqueio...''

A ponta Jaqueline, de 26 anos, 1,86 m e 71 quilos, substitui à altura Paula Pequeno no ataque do Sollys/Osasco

, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

Das 14 jogadoras que começaram o duelo entre Osasco e Rio, no ano passado, apenas uma não estará em quadra: é Paula Pequeno, que ao fim da Superliga passada, transferiu-se para a Rússia. Mas a qualidade no ataque do Sollys/Osasco foi mantida com a chegada da ponteira Jaqueline, ouro em Pequim/2008.

O desejo de voltar ao Brasil, e justamente para o time que a projetou para o vôlei, foi uma decisão pensada, mas não sem seus sobressaltos. Afinal, acertada com o Osasco, também recebeu com surpresa a saída do antigo patrocinador. "Mas eu sempre tive confiança naquilo que o Luiz (o técnico Luizomar de Moura) me passava. Sabia das dificuldades, mas tudo o que ele me prometeu, conseguiu. E estou super feliz com o retorno."

Aos 26 anos, Jaqueline diz que é uma "velha nova". "Tenho pouca idade, mas já fiz muita coisa. Tenho muita bagagem." Um toque a mais para uma decisão em jogo único. "Quero que elas (companheiras de equipe) me suguem ao máximo." E não se surpreende com o alto nível do vôlei praticado internamente. "Todas as equipes estão no mesmo nível, até aquelas que, teoricamente, não tem estrelas."

Com 1,86 metro e 71 quilos, a ponteira é a melhor atacante da atual temporada da Superliga, com 27% de eficiência, embora afirme não ter a pretensão de ser a principal pontuadora do Sollys/Osasco. "Minha característica sempre foi a de dar muito volume de jogo." Não esconde, porém, seu oportunismo. "Pode ser no ataque, no bloqueio, no saque... Se vacilarem, eu vou pontuando."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.