Secretário-geral da Fifa chega blindado ao Brasil

Jerome Valcke participa de reuniões para tratar das 12 sedes da Copa. Dirigente será preservado e não dará entrevistas

RIO, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2010 | 00h00

O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, vai vir ao Brasil amanhã para tratar de um assunto recorrente nas últimas semanas na sede da Copa do Mundo de 2014: os projetos técnicos - e a viabilidade financeira - dos 12 estádios escolhidos para a competição. Dará mais ênfase à polêmica situação do Morumbi, com a qual a Fifa já perdeu a paciência.

Ele chegará em São Paulo, onde se encontrará com o presidente do Comitê Organizador da Copa e da CBF, Ricardo Teixeira, e também com Andrés Sanchez, presidente do Corinthians. Depois, Teixeira e Valcke seguem para Brasília.

Jerome Valcke já sinalizou várias vezes que o Morumbi não se enquadrava às exigências da Fifa para ser o estádio de abertura do Mundial de 2014.

Blindagem. O secretário-geral será blindado pelo comitê organizador, atendendo a um pedido de dirigentes da Fifa. Não concederá entrevistas. Ele quer evitar comentários sobre o Mundial no Brasil por causa da proximidade da Copa na África do Sul, que começa em 11 de junho.

Em comunicado oficial divulgado ontem, a Fifa confirmou a viagem de Jerome Valcke ao Brasil, conforme antecipou o Estado na edição de segunda-feira.

O secretário também vai discutir temas jurídicos relativos à Copa do Mundo de 2014. Valcke esteve diretamente ligado à definição das 12 sedes do Mundial no Brasil.

Atualmente, ele mora na África do Sul e é o executivo da Fifa que toca o projeto da Copa africana. Vai ter esse mesmo papel em 2014, no Brasil.

O dirigente francês tem identidade com o Brasil. Tem relação de amizade com Ricardo Teixeira, com quem já passou dois réveillons no Rio.

Desde a definição do País como sede da próxima Copa na América do Sul, Valcke é quem fala oficialmente pela Fifa sobre a competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.