Secretário-geral da ONU pode perder abertura da Olimpíada

O secretário-geral das NaçõesUnidas, Ban Ki-Moon, informou à China que pode não comparecer àcerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim em agostodevido a um conflito de datas, disse uma porta-voz nestaquinta-feira. A China será a sede da próxima edição dos Jogos Olímpicos eos líderes mundiais enfrentam a pressão de ativistas dedireitos humanos pelo boicote da cerimônia de abertura emPequim. Entretanto, a porta-voz da ONU contou que Ban disse àChina há alguns meses que não poderia aceitar o convite porcausa de problemas de horários. "O secretário-geral comunicou o governo (da China) háalguns meses de que não estava em posição de aceitar o convitepara comparecer a este importante evento, devido a problemas deagenda", disse porta-voz da ONU Marie Okabe em uma coletiva deimprensa. Okabe se recusou a detalhar o conflito de horários naagenda do secretário. A China têm sido duramente criticada pelos governosocidentais por uma repressão sangrenta no Tibet e têm sidoacusada por ativistas de direitos humanos de não fazer obastante para acabar com o derramamento de sangue na região deDarfur. O presidente norte-americano, George W. Bush, lida compressão dos três pré-candidatos à Casa Branca para boicotar acerimônia de abertura. Bush disse nesta semana que ele planejacomparecer à cerimônia, e falar sobre liberdades religiosas. Separadamente, o parlamento europeu fez um apelo aoslíderes da União Européia para que boicotassem a cerimônia deabertura dos Jogos de Pequim a menos que a China iniciediálogos com o Dalai Lama para encerrar os conflitos no Tibet. (Reportagem de Louis Charbonneau)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.