Sedes da Copa 2014 querem acordo em bloco para liberar bebidas durante a competição

SÃO PAULO - As cidades-sede da Copa de 2014 defendem uma decisão conjunta para a liberação da venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante o Mundial e também na Copa das Confederações de 2013. O acordo foi feito nesta sexta, durante fórum realizado no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. A definição sobre os ingressos de meia-entrada também será feita de maneira conjunta.

ALMIR LEITE e LEONARDO MAIA, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2012 | 03h04

A polêmica em relação aos dois temas permanece porque a Lei Geral da Copa, sancionada no início do mês pela presidente Dilma Rousseff, obriga a Fifa a negociar diretamente com os Estados e municípios que têm leis próprias sobre as questões. Um participante do encontro de ontem disse ao Estado que essas sedes concordam em atender às exigências da Fifa, mas querem se livrar do ônus político de mudar individualmente suas leis. Por isso, a opção por negociar em bloco.

O ministro Aldo Rebelo sinalizou que Brasília pode intermediar o acordo, ao dizer que "o Ministério do Esporte e o governo federal continuarão dando todo o apoio às cidades e ajudando a resolver os problemas".

OBRAS EM ITAQUERA

As intervenções no entorno da Arena Corinthians (estimadas em R$ 478,2 milhões) poderão começar em um mês. Essa é a expectativa do secretário de Estado de Planejamento e Desenvolvimento de São Paulo, Julio Semeghini. "O Itaquerão está bastante adiantado. Mas temos toda uma infraestrutura no entorno. Temos de realizar grandes mudanças no trânsito da região.'

BRASIL EM 2013

O presidente da CBF, José Maria Marin, disse ontem que a preparação da seleção brasileira para a Copa das Confederações não será no Rio ou em São Paulo. "Ainda não temos nada definido, mas quero fugir de Rio e São Paulo. A ideia é valorizar outras regiões."

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.