Segue dor argentina. Paraguai se garante

Equipe de Maradona perde outra, agora em Assunção, e se complica

ASSUNÇÃO, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

A derrota para o Brasil, no fim de semana, parecia ter jogado a Argentina para o fundo do poço. Nem os mais pessimistas torcedores poderiam imaginar situação ainda pior. Mas ontem a equipe de Diego Maradona conseguiu se complicar mais nas Eliminatórias Sul-Americanas. A equipe atuou mal, como de costume nos últimos meses, Messi esteve apagado e o time perdeu de novo: Paraguai 1 a 0, gol de Nelson Valdez, em Assunção. Os paraguaios, assim, se juntaram ao Brasil e também garantiram classificação para o Mundial da África.

A seleção bicampeã do mundo terá de fazer contas para ir à Copa. Além, é claro, de conquistar vitórias. A derrota para o Paraguai, que dominou a maior parte do duelo e mereceu o triunfo no Estádio Defensores del Chaco, derrubou o time para o quinto lugar, com 22 pontos, pois foi ultrapassado pelo Equador, com 23. Os equatorianos não tiveram dificuldade para bater a Bolívia por 3 a 1, em La Paz. O Uruguai também fez sua parte e derrotou a Colômbia por 3 a 1, em Montevidéu. Os uruguaios somam, agora, 21 pontos, ainda com chances, na cola da Argentina.

Os quatro primeiros vão diretamente para o Mundial do ano que vem. O quinto terá de disputar uma repescagem contra o quarto colocado da Concacaf. Os argentinos ainda correm o risco de terminar a competição na sexta posição. Na próxima rodada, o confronto é teoricamente fácil. O adversário será o eliminado Peru, em Buenos Aires. A preocupação maior é com relação ao último jogo das Eliminatórias, em que o oponente será o Uruguai, brigando por vaga, em Montevidéu, em outubro.

MARADONA AMEAÇADO

Maradona pode cair hoje. A pressão por sua saída na Argentina é grande. Embora seja adorado no país por sua fantástica carreira de jogador, sofre restrição como técnico. Não é para menos. Além de pouca experiência na nova função, El Diez não é capaz de dar padrão de jogo à equipe e os bons resultados não aparecem.

Abatido após mais um tropeço, Maradona garantiu que só sai da seleção, se a Associação de Futebol Argentino (AFA) resolver demiti-lo. "Vou seguir lutando, é preciso seguir, as críticas não me afetam", afirmou, irritado, em entrevista coletiva. "Enquanto eu ainda tiver uma gota de sangue, vou trabalhar para que a Argentina se classifique para a Copa."

O treinador afirmou, também, que não considera nenhuma vergonha ir à repescagem caso o time não consiga vaga direta no Mundial. "Ninguém morreu quando fomos à repescagem em 1993 (para a Copa dos Estados Unidos) e agora ninguém vai morrer se tivermos de ir novamente à repescagem." Naquele ano, os argentinos tiveram de superar a Austrália para chegar ao Mundial de 94. "Não imaginava estar tão mal na tabela, mas é a realidade e temos de enfrentá-la.

ENTENDA O CASO

14/9/08 - No GP da Itália há rumores de que Nelsinho pode não terminar o ano na Renault

28/9/08 - GP de Cingapura - Flavio Briatore pede a Nelsinho para provocar um acidente.

Na 12.ª volta , Fernando Alonso é o primeiro a fazer pit stop;

na 14.ª, Nelsinho bate na grade de proteção e pede "desculpas"

à equipe pelo rádio; na mesma volta, safety car na pista.

Os que estão à frente de Alonso entram nos boxes e o

espanhol assume a liderança; após 61 voltas, o espanhol vence.

26/7/09 - Nelsinho é dispensado após o GP da Hungria

30/7/09 - Em represália, o piloto teria se encontrado com Max Mosley, presidente da FIA, para denunciar a farsa em Cingapura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.