Segunda Divisão, o tormento do Santos

Time precisa hoje da vitória sobre o Vasco, na Vila, para sair da lanterna

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

26 de julho de 2008 | 00h00

A derrota por goleada contra o Palmeiras afundou ainda mais o Santos na crise. E ontem a situação piorou. Com a vitória do Ipatinga sobre o Internacional por 1 a 0, em Minas, o time da Baixasa Santista passou a ser o lanterna do Campeonato Brasileiro. Por isso, a vitória é imprescindível hoje, às 16 horas, contra o Vasco, na Vila Belmiro. Depois da equipe carioca, o Santos ainda jogará em casa com o Coritiba, no próximo domingo, e com o Atlético-MG, no dia 6. Na quarta-feira, sairá contra Internacional, em Porto Alegre, e contra o Náutico, em 10 de agosto, fechará o turno. Para agravar mais a situação, o último dia de preparação do Santos para enfrentar o Vasco não foi de boas notícias para o técnico Cuca. A tentativa de antecipar a volta de Fábio Costa não deu certo. O capitão santista voltou a sentir a contusão e foi vetado pelos médicos. O atacante paraguaio Cuevas, com uma pancada nas costas, também está fora. Fábio Costa chegou a correr em volta dos campos do CT Rei Pelé ontem cedo, fez alguns exercícios, mas sentiu dores na coxa. "Fábio fez uma ultra-sonografia e foi constatado um desarranjo no músculo lesionado, que ainda não está totalmente cicatrizado", explicou o médico Carlos Braga.Sem contar com Fábio Costa e com Felipe, sem condições emocionais depois de falhar em dois dos quatro gols do Palmeiras, na quinta-feira, Cuca foi obrigado a escalar Douglas. Para substituir Cuevas, Tiago Luís é a provável escolha do técnico. Depois da derrota de quinta-feira, ele disse que precisaria dos jogadores jovens para a partida e citou o atacante e o meia Wesley. Como Marcelo e Fabão estão suspensos, Domingos volta ao time para formar dupla com Fabiano Eller. Michael, que não enfrentou o Palmeiras, será o lateral-esquerdo, e Kléber será improvisado como segundo volante, ajudando Adriano na marcação e Molina na armação. Por enquanto, a torcida vem apoiando o time, apesar da péssima campanha. Mas um novo resultado negativo hoje poderá mudar o seu comportamento. Se nas temporadas anteriores, com Vanderlei Luxemburgo à frente e com altos investimentos, o Santos conquistou apenas dois títulos do Campeonato Paulista e ficou pelo caminho no Brasileiro e na Libertadores, porque raramente ganhava fora, agora nem na Vila Belmiro o time consegue se impor. Apesar da crise Cuca mantém o otimismo e acredita que o apoio que recebeu do presidente Marcelo Teixeira tem longo prazo. PROMOÇÃOPara atrair torcedores, a diretoria tem feito promoções na Vila, com sucesso. Contra o Sport (1 a 0, no domingo passado), o público foi de 13.918 pagantes, quase o dobro da média de cerca de 7 mil no ano passado. Para que isso seja possível, o torcedor com camisa do clube paga meia entrada. Mulher acompanhada entra de graça. Fora os descontos, o torcedor tem ganhado ingressos em programas esportivos de emissoras de rádio e tevê da Baixada Santista.VASCO SOB PRESSÃOOs cariocas não vencem há quatro partidas e terão os desfalques de Morais e Souza, suspensos, e o veterano Edmundo, poupado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.