Segurança é prioridade para 2012, diz COI

O Rio de Janeiro terá que mostrar que pode garantir a segurança de atletas, organizadores e do público se quiser ter alguma chance de sair vencedor da corrida para sediar os Jogos Olímpicos de 2012. A afirmação é do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge. "Se não houver segurança, é impossível (a realização dos Jogos)", afirmou o dirigente belga em entrevista exclusiva à Agência Estado, lembrando que desde 1972, quando ocorreram atentados terroristas contra atletas na Olimpíada de Munique, a segurança tem sido uma prioridade para o COI.Para Rogge, uma candidatura forte não precisa ser necessariamente uma candidatura rica. "Não estamos pedindo que haja muito dinheiro. Queremos é que a cidade candidata mostre que conta com uma infra-estrutura que atenda nossas necessidades", afirmou.O presidente do COI também ressaltou a necessidade de que haja estabilidade política e econômica em um país que queira sediar os Jogos. "Escolhemos a sede do evento sete anos antes de sua realização. Temos que estar seguros de que haverá uma certa estabilidade para que os organizadores possam preparar o evento", disse.Sobre o fato de que em mais de cem anos de Jogos Olímpicos, o Hemisfério Sul apenas recebeu o evento em duas oportunidade, e ambas na Austrália, Rogge parece não considerar isso um problema. "Está muito claro. Os países do Sul poderão sediar os Jogos quando mostrarem que tem a melhor candidatura. É simples. Vamos escolher o melhor para 2012", afirmou.Segundo ele, nem mesmo a escolha do Rio para sediar os Jogos Pan-Americanos de 2007 influenciará no voto para 2012. "Todos os candidatos são fortes", lembrou Rogge. Além da cidade brasileira, a corrida para sediar os Jogos inclui Nova York, Paris, Londres, Istambul, Madri, Moscou, Havana e Leipzig. A escolha do COI será feita em 2005.

Agencia Estado,

15 de agosto de 2003 | 15h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.