Segurança é reforçada na São Silvestre

Na 80ª edição da São Silvestre, a segurança foi reforçada esse ano, na área da largada, com restrição de acesso ao espaço reservado para os corredores de elite e os vips - como o ministro Agnelo Queiróz, que alinhou usando o número 65 - e mais policiais. Foi uma das poucas mudanças na prova que continua a ser espaço para brincadeiras e protestos dos 15 mil corredores. As fantasias se repetem - homem-aranha, noiva, padre, índio, Tirirca, Falcão, etc - mas as mensagens seguem os acontecimentos. O terremoto na Ásia foi o principal tema dessa edição. "Ajudem sobreviventes da tsunami", "Não tem terremoto, mas tem desemprego e salário de fome", diziam alguns dos cartazes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.