Werther Santana/ Estadão
Werther Santana/ Estadão

'Sei que posso ampliar esse recorde', projeta Cielo após fazer história na China

Após ajudar a equipe brasileira no revezamento 4x100 metros, nadador terá ainda mais chances de ganhar medalhas

O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2018 | 17h47

Após ajudar a equipe do revezamento 4x100 metros do Brasil a conquistar a medalha de bronze no Mundial de Piscina Curta, nesta terça-feira, em Hangzhou, na China, Cesar Cielo garante que não vai se acomodar com o fato de que fez história ao se tornar o maior medalhista do País em Mundiais, levando em conta todas as modalidades. Com 18 pódios conquistados na carreira, ele superou o velejador Robert Scheidt, que tem 17 medalhas.

O astro brasileiro ainda vai nadar duas provas individuais, os 50m livre e 100m livre, e poderá participar de até mais três revezamentos, nos 4x50m livre, 4x50m medley e 4x50m medley, neste Mundial. Ele admite que o bronze desta terça foi consagrador, mas quer aumentar o peso do seu feito com novos pódios nas piscinas chinesas.

"Foi uma medalha conquistada mesmo no desempenho e na superação de cada um. Posso dizer que minha vinda para cá já foi justificada. Agora, quero aproveitar cada momento com cada amigo e tem muita coisa por vir. Têm revezamentos, provas individuais. Sei que posso ampliar esse recorde e vou em busca disso", projetou Cielo, que formou o quarteto do revezamento do Brasil com Matheus Santana, Marcelo Chierighini e Breno Correia nesta terça-feira, quando o conjunto nacional só foi superado pelos times dos Estados Unidos e da Rússia.

Por meio de suas redes sociais, Cielo também celebrou o seu feito. "Valeu, parceiros!!! Pódio do 4x100m livre aqui no Mundial de Hangzhou! Valeu, Brasil!", escreveu o velocista em suas páginas no Twitter e no Instagram. Em outra publicação, ele também usou emojis para lembrar as 18 medalhas que ganhou ao longo dos Mundiais que disputou, sendo 11 de ouro, duas de pratas e cinco de bronze.

Marcelo Chierighini, por sua vez, também usou as suas redes sociais para comemorar o bronze no revezamento 4x100m livre e ao mesmo tempo para exaltar Cielo, campeão olímpico dos 50m livre nos Jogos de Pequim-2008 e detentor dos recordes mundiais dos 50m e dos 100m livre, ambos estabelecidos em 2009.

"Hoje teve medalha aqui no Mundial da China!! Conquistamos a medalha de bronze no revezamento 4x100 livre!! Muito orgulho de fazer parte de mais essa conquista!! Valeu, time!!!!! Valeu, Brasil!!!!! Obrigado a todos que torceram e que participaram dessa medalha!! E um agradecimento especial ao @cesarcielof. Cesão, sempre foi um grande prazer nadar ao seu lado, obrigado por tudo!!", escreveu Chierighini no Instagram.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Cesar Cielo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.