Kevin Van Paassen/AFP
Kevin Van Paassen/AFP

Seis dias após Mundial, Renzo derrota vice e vai à semi na esgrima

Brasileiro garante primeiro pódio na modalidade

Estadão Conteúdo

20 de julho de 2015 | 16h45

Se na natação e no atletismo os EUA não enviam ao Jogos Pan-Americanos seus melhores atletas, na esgrima os norte-americanos estão representados pela mesma equipe que disputou o Campeonato Mundial até o último domingo. Isso inclui Daryl Homer, vice-campeão mundial no sabre, que sentiu de perto a evolução recente da esgrima brasileira. Renzo Agresta o venceu nas quartas de final em Toronto, por 15 toques a 12, está na semifinal da arma e já garantiu o primeiro pódio ao País.

O resultado mostra que a esgrima não é um esporte onde os resultados são óbvios. Homer chegou à semifinal do Mundial, terça-feira passada, ao vencer o líder do ranking mundial, Bongil Gu. O sul-coreano, por sua vez, avançara às quartas de final ao ganhar de Renzo, de virada. E o brasileiro agora ganhou do norte-americano.

Número 18 do mundo, Renzo já é candidato real à medalha nos Jogos Olímpicos do Rio. No Mundial, venceu o ucraniano Andriy Yagodka, que há menos de um mês venceu os Jogos Europeus - o equivalente ao Pan no continente que domina a esgrima. Hoje, o brasileiro não deve nada a ninguém.

Em Toronto, já garantiu ao menos o bronze conquistado no Pan de 2007, no Rio. Na semifinal, às 19h40 (de Brasília) vai enfrentar o canadense Joseph Polossifakis, número 27 do mundo. Na outra chave estão o norte-americano Eli Dershwith (17.º) e o argentino Ricardo Bustamente (40.º). Homer havia eliminado, nas oitavas, o outro brasileiro da chave: William Zeytounlian, por 15 a 8.

No sabre feminino, o Brasil ficou sem medalhas. Karina Lakerbari foi a sexta e última colocada da sua poule (uma fase de grupos que define as ordem dos confrontos eliminatórios). Giulia Gasparini ganhou um dos seis jogos e avançou em quinto na sua Poule. Nas oitavas de final, entretanto, enfrentou a panamenha Eileen Grench, por 15 a 4.

Como país-sede da próxima Olimpíada, o Brasil recebeu oito credenciais para as competições de esgrima, podendo usá-las como quiser, inclusive entrando em uma das quatro disputas por equipes (são necessários três atletas). Renzo Agresta deve obter sua vaga pelo ranking mundial, "liberando" a confederação para usar os convites com outros atletas.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosesgrima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.