Seleção aposta em Fortaleza para superar carrasco

A seleção brasileira e o técnico Luiz Felipe Scolari desembarcaram no domingo em um palco que traz boas recordações, para enfrentar um dos adversários que mais tem incomodado o Brasil nos últimos anos. É o México, adversário de quarta-feira, na Arena Castelão, na capital cearense, pela segunda rodada da Copa das Confederações.

LEANDRO SILVEIRA, Agência Estado

17 de junho de 2013 | 08h05

Os sentimentos diferentes provocados pela capital cearense e pela seleção mexicana foram lembrados por Felipão ainda em Brasília, antes da viagem. "Nós já temos que nos cuidar para o México, para tirar essa pedra do nosso sapato. Eles estão complicando a vida da gente há dez anos", afirmou o treinador.

No ano passado, o sonho da seleção brasileira de conquistar a inédita medalha de ouro olímpica foi encerrado justamente pelo México, que venceu a final do torneio de futebol masculino dos Jogos de Londres por 2 a 1, deixando o Brasil com a prata. O resultado, aliás, pode ter precipitado a demissão do técnico Mano Menezes, mesmo que tenha ocorrido apenas no final de novembro, e o retorno de Felipão ao comando do time.

Nas últimas 10 partidas contra os mexicanos, o Brasil somou três vitórias, um empate e seis derrotas. Se o retrospecto recente diante do México preocupa, a equipe se apega ao desempenho no Castelão para conquistar a segunda vitória na Copa das Confederações. No estádio de Fortaleza, a seleção brasileira já disputou sete partidas na história, com seis vitórias e apenas uma derrota.

O sexto triunfo, aliás, não sai da memória de Felipão. Em 2002, no último compromisso no País antes da Copa do Mundo no Japão e na Coreia do Sul, a seleção venceu a Iugoslávia por 1 a 0, com gol de Luizão, numa partida em que o treinador resolveu testar Ronaldo, que ensaiava a sua volta ao futebol após grave lesão no joelho, nos 45 minutos iniciais.

"Teremos o apoio do torcedor, que faz uma festa maravilhosa em Fortaleza, e isso ajuda. Foi assim em 2002 e também espero que seja assim agora", disse Felipão, que fez questão de levar a seleção para Fortaleza no primeiro amistoso após a conquista do pentacampeonato mundial - o Paraguai acabou vencendo aquele jogo por 1 a 0.

Thiago Silva também acredita que o apoio do torcedor aos jogadores da seleção brasileira vai se repetir em Fortaleza. "Espero ver o mesmo ambiente de Brasília", afirmou o zagueiro, sem, porém, deixar de alertar que será preciso se impor diante do México para que o Brasil não seja surpreendido. "Se a gente não tiver atitude dentro de campo e respeitar demais o México, jogando atrás, não terá diferença e não faremos um bom jogo."

Nesta segunda-feira, a seleção brasileira faz o seu primeiro treinamento em Fortaleza, a partir das 15 horas, no Estádio Presidente Vargas. No dia seguinte, os jogadores farão um trabalho de reconhecimento do gramado do Castelão, local da partida de quarta, marcada para começar às 16 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.