Satiro Sodre/ Divulgação
Satiro Sodre/ Divulgação

Seleção feminina de polo aquático é goleada, mas avança no Mundial

Brasil enfrentará a China nas quartas de final, na Rússia

Estadão Conteúdo

30 de julho de 2015 | 15h53

A seleção brasileira feminina de polo aquático foi derrotada pela Itália por 16 a 5 em seu último jogo na fase de grupos do Mundial de Esportes Aquáticos, mas segue vivo na competição em Kazan, na Rússia. Afinal, terminou a sua participação no Grupo C, em terceiro lugar, ao menos garantindo a sua passagem para a segunda fase.

Diante da Itália, Amanda Oliveira foi o principal destaque brasileiro com quatro gols marcados. Izabella Chiappini e Melani Dias anotaram os outros gols da equipe, que foi presa fácil para as italianas, que fecharam o primeiro período vencendo por 3 a 0 e o segundo por 8 a 1.

O Brasil terminou o terceiro período com a mesma desvantagem de sete gols - 11 a 4. E as italianas ampliaram o marcador no último período para 15 a 6. Federica Radicchi e Roberta Bianconi foram os destaques da seleção europeia, com três gols marcados cada.

A Itália fechou o Grupo B em primeiro lugar, com três vitórias e avançou direto para as quartas de final. Os Estados Unidos ficaram na segunda posição da chave com dois triunfos após baterem o lanterna Japão, que não pontuou na competição, por 17 a 2.

Em busca de uma vaga nas quartas de final, o Brasil terá pela frente a China, que ficou na segunda colocação no Grupo D após empatar em 9 a 9 com a Rússia. O duelo está marcado para o próximo sábado, às 14h10 (horário de Brasília). E caso avance, a seleção vai encarar a Austrália, líder do Grupo B, nas quartas de final.

O auxiliar-técnico da seleção brasileira, Roberto Chappini, disse que a equipe pode vencer as chinesas, mas desde que tenha atenção desde o início do duelo. "Se o Brasil tivesse que escolher um adversário seria a China. Mas as chinesas deram um salto grande do último mês para o Mundial. É um time que ficou um mês na Europa e evoluiu em todos os fundamentos. Venceu a Hungria e empatou com a Rússia. O Brasil precisa iniciar bem o jogo para não deixar o adversário escapar no placar. Isto nos atrapalhou contra a Itália e os Estados Unidos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.