Carmen Jaspersen/AFP
Carmen Jaspersen/AFP

Seleção feminina mostra confiança em bom jogo contra Rússia no Mundial

Brasil terá o confronto mais difícil na primeira fase nesta terça-feira

Estadão Conteúdo

04 de dezembro de 2017 | 22h42

A seleção brasileira feminina de handebol tem nesta terça-feira, às 14h45 (de Brasília), o seu maior desafio na fase de grupos do Mundial que está acontecendo na Alemanha. A equipe encara a Rússia, na Ewe Arena, em Oldenburg, no duelo entre as duas primeiras colocadas do Grupo C. As russas somam quatro pontos em duas vitórias e o Brasil três com um resultado positivo diante da Tunísia e um empate com o Japão.

+ Dueñas critica defesa 'fraca' do Brasil após vitória no Mundial

As atuais campeãs olímpicas têm uma equipe potente em todos os sentidos, mas depois de duas partidas em que o Brasil não se saiu tão bem, o time comandando pelo técnico espanhol Jorge Dueñas fez um excelente treino nesta segunda-feira e acredita que é possível sim conseguir um bom resultado. A goleira Mayssa Pessoa, que atua no clube russo Rostov Don, disse que as adversárias têm uma equipe completa, mas que se o Brasil fizer tudo que tem planejado, assim como fez no treinamento, pode surpreender.

"Amanhã (terça-feira) é um jogo diferente, não podemos jogar igual aos dois primeiros, quando conseguimos nos recuperar mais adiante. Contra a Rússia não pode ser assim. É um time com jogadoras boas em todas as posições. Mas, se jogarmos igual fizemos no torneio na Romênia, é possível. Estamos aqui com muitas atletas novas na seleção, que nunca estiveram em um Mundial. Já jogam em clubes europeus, mas estão tendo oportunidade agora na seleção. Talvez, pelo nervosismo, cometemos erros que não podemos. Precisamos de mais concentração, mais foco para que tudo saia bem", analisou a paraibana.

Mayssa Pessoa ressaltou o trabalho que tem sido feito pelas atletas veteranas, pelas novas e por toda a comissão técnica para que o Brasil consiga se sair bem neste Mundial, que é o primeiro do novo ciclo olímpico. "O treino de hoje (segunda-feira) foi muito bom. Tivemos uma boa comunicação, sentimos confiança uma na outra. O time está pronto para amanhã. Sabemos que não vai ser fácil. A Rússia é uma equipe muito boa. Precisamos ter mais velocidade no contra-ataque, no retorno. Se fizermos isso, podemos conseguir. Pouco a pouco vamos chegar lá. O trabalho com o Jorge tem sido excelente. Ele é muito paciente e é um treinador muito experiente, medalhista olímpico", apontou.

Jorge Dueñas, que iniciou o trabalho com a equipe este ano, acredita que o Brasil pode mostrar mais qualidade na partida contra a Rússia do que nos dois primeiros jogos. "Amanhã (terça-feira) vamos enfrentar as atuais campeãs olímpicas que já demonstraram nos dois primeiros jogos aqui um nível altíssimo. Venceu a Tunísia muito claramente e fez um bom jogo contra Montenegro. Nós fizemos dois jogos bastante irregulares, que nos deixaram uma imagem de uma equipe que não queremos. Amanhã é importante que nossa imagem passe a ser de uma equipe sóbria, equilibrada e séria e ter a oportunidade de estar no mesmo nível que a Rússia. Sabemos que é complicado porque é um time de muito potencial, mas acredito que o Brasil a qualquer momento vai mostrar seu verdadeiro nível e conseguir bons resultados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.