Martin Alipaz/EFE
Martin Alipaz/EFE

Seleção masculina perde de Cuba na semi e vai disputar o bronze do vôlei no Pan

Brasil também teve resultados adversos nos saltos ornamentais e no ciclismo de pista neste sábado

Redação, Estadão Conteúdo

03 de agosto de 2019 | 23h44

Em um jogo no qual nada deu certo, e tudo foi perfeito para o rival, a seleção brasileira masculina de vôlei foi derrotada por Cuba, neste sábado, nas semifinais da modalidade nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. Sem qualquer dificuldade, a equipe caribenha venceu por 3 sets a 0 - com as parciais de 25/16, 25/22 e 25/21.

Resta ao Brasil agora, que joga no Pan com um time B - o principal está na Bulgária para a disputa do Pré-Olímpico, na semana que vem -, a luta pela medalha de bronze neste domingo. O ponteiro Kadu foi o maior pontuador da seleção brasileira, com 12 acertos. O cubano Mergarejo foi quem mais pontuou no jogo, com o total de 17.

Após a partida, o capitão Éder lamentou o resultado negativo. "Sabíamos que íamos enfrentar uma grande equipe, principalmente no potencial físico, mas não esperávamos jogar tão abaixo. Talvez tenhamos evitado nas decisões de ataque e isso mudou nosso estilo de jogo. A partir da metade do segundo set e no terceiro conseguimos voltar o padrão, mas foi tarde demais", analisou.

O central ainda comentou sobre a expectativa para a luta pelo bronze neste domingo. "É uma pena. Nosso time vinha muito bem, estávamos muito confiantes em jogar a final amanhã (domingo), mas agora não podemos baixar a cabeça. Temos um compromisso importante amanhã e vamos fazer de tudo para buscar essa medalha", afirmou Eder.

Para Entender

Pan-Americanos 2019: saiba como assistir ao torneio que será disputado em Lima

Competição vai ter transmissão ao vivo na TV aberta, fechada e online

O técnico Marcelo Fronckowiak fez questão de elogiar a atuação do adversário deste sábado. "Nós jogamos contra a seleção principal de Cuba, enquanto a seleção brasileira tem um grupo jovem diante dessa realidade que enfrentamos de ter o Pré-Olímpico quase ao mesmo tempo do Pan. Cuba foi superior fisicamente no ataque e nos colocou pressão desde o primeiro momento. Não soubemos sair disso. Eles foram melhores, mas nós também fomos aquém daquilo que poderíamos fazer", concluiu.

Saltos ornamentais

Na final feminina da plataforma de 10 metros, o Brasil foi representado por Ingrid Oliveira e Andressa Mendes. A primeira começou bem e chegou a ficar em terceiro lugar após três de seis saltos, mas caiu de produção e terminou na oitava colocação, com 257,90 pontos. Uma posição acima da compatriota, que somou 233,20.

O Canadá fez dobradinha no pódio com Meaghan Benfeito, ouro com 375,05 pontos, e Caeli McKay, prata com 365,70. A mexicana Alejandra Orozco ficou com o bronze ao somar 356,10.

Ciclismo de pista

Na final do Omnium feminina, mais uma vitória para os Estados Unidos. Jennifer Valente ficou com o ouro. A mexicana Lizbeth Salazar conquistou a prata e a cubana Arlenis Cañadilla completou o pódio. A brasileira Wellyda Rodrigues dos Santos terminou na 10.ª colocação geral.

Vela

Por conta da falta de vento, o primeiro dia da modalidade no Pan teve apenas a disputa de uma regata das classes 49er e 49erFX. Nelas, o Brasil se deu bem com as vitórias das campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze e de Gabriel Borges e Marco Grael, respectivamente.

Por causa da má condição climática, os atletas esperaram por até cinco horas para saber se entrariam na água neste sábado. Todas as demais classes tiveram as suas provas adiadas para este domingo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.