Seleção não terá Fernanda e Fofão

Fernanda Venturini e Fofão são as duas melhores levantadoras do Brasil na atualidade, mas não estão na seleção, algo que pode parecer estranho para os que não acompanham os bastidores do vôlei. Fernanda não voltaria ao time mesmo ? já fez críticas contundentes ao trabalho do técnico Marco Aurélio Motta, que a acusa de espalhar a discórdia. Ainda que jogue mais um ano, será em clubes. Fofão, que em 2002 integrou o grupo de ?rebeladas? que deixou a seleção também por não concordar com o trabalho de Marco Aurélio, foi consultada sobre a possibilidade de voltar à equipe pelo gerente de Seleções, Paulo Márcio Nunes da Costa, mas disse não. ?Não estou pensando nisso agora.? ?Se ela não quer, o que podemos fazer??, indagou o presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Ary Graça. Aonde o Brasil pode chegar com as levantadoras Marcele e Fabíola, que, reserva de Fofão, não jogou nenhuma partida da Superliga? A pergunta é feita constantemente nos bastidores, por técnicos, preparadores-físicos, dirigentes, atletas e pessoas ligadas ao vôlei. O presidente da CBV não responde diretamente, mas admite que o levantamento é a posição mais frágil da seleção. Acrescenta que Marcele será preparada para 2004 e insiste que, em sua gestão, atleta não derruba técnico. ?Quem não voltar agora não volta para a Olimpíada de Atenas?, ameaçou. Mas a CBV dá sinais de que pensa em, pelo menos, melhorar o prestígio da comissão técnica. Nesta sexta-feira, confirmou a indicação do técnico Antônio Rizola para auxiliar de Marco Aurélio, numa troca de função com Luizomar Moura, que assume a seleção infanto-juvenil. Rizola teria mais trânsito com as atletas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.