Seleção se rende aos prazeres da Vila Olímpica

Jogadores do time de Mano visitam centro de hospitalidade destinado aos atletas nos Jogos e saem empolgados

Mateus Silva Alves - Enviado especial, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2012 | 03h03

A seleção brasileira levou um "banho de Olimpíada" ontem ao visitar a Vila Olímpica. Os jogadores ficaram ao mesmo tempo espantados e maravilhados com o tamanho da estrutura montada para receber os atletas que disputarão os Jogos de Londres. E deixaram o local dizendo-se mais motivados ainda para conquistar a medalha de ouro, coisa que o futebol brasileiro jamais conseguiu, não custa lembrar.

A delegação chegou à Vila no meio da tarde (pelo horário inglês) e só saiu de lá à noite, depois de jantar no refeitório. Os jogadores passearam bastante pelo lugar, foram tietados por vários atletas e voluntários (Neymar foi o mais assediado, para surpresa de ninguém), também tietaram atletas brasileiros (como Daiane dos Santos) e deram uma passada em uma loja de souvenires para levar para casa lembrancinhas dos Jogos.

Mano Menezes saiu da Vila acreditando que a experiência pode ser muito útil na caminhada do Brasil rumo ao ouro. "Isso é algo extremamente positivo, pois os atletas têm a oportunidade, ainda que por pouco tempo, de ter uma ideia da grandeza dos Jogos Olímpicos."

O capitão Thiago Silva, que disputou os Jogos de Pequim em 2008, quando a seleção ficou alguns dias hospedada na Vila antes de jogar a semifinal, contra a Argentina, concorda com o chefe. Está convencido de que o entusiasmo de seus companheiros vai aumentar depois da visita à Vila. "Quando a gente chega aqui é que tem uma noção do que é a Olimpíada", comentou o zagueiro. "Isso é bom porque com certeza aumenta a nossa motivação para lutar pelo ouro."

Thiago contou que os laterais Danilo e Alex Sandro, que estavam ao seu lado em parte da visita, ficaram impressionadíssimos com o tamanho da área de refeições da Vila.

Nada de ficar na Vila. Se tudo der certo para a Seleção, o que significa terminar a fase de grupos em primeiro em sua chave e avançar até a final, ela só jogará em Londres na decisão do ouro. Foi oferecida à CBF a chance de hospedar os jogadores na Vila Olímpica nos dias que antecedem ao jogo final (a Vila tem um prédio exclusivo para times de futebol), mas Mano tem certeza de que a ideia é péssima. Segundo ele, o local tem muitas tentações para quem precisa se concentrar em uma partida tão importante. "É melhor ficarmos dentro da nossa realidade. Discute-se muito no Brasil sobre a possibilidade de acabar com a concentração e chegamos à conclusão de que isso ainda não é possível. E os jogadores sabem o porquê disso."

Baseado na experiência de Pequim, Thiago Silva também acha que ficar na Vila seria um mau negócio para a seleção. "Se pudermos ficar fora da Vila antes da final é melhor", opinou o capitão. "Para o nosso esporte descanso é tudo, e aqui há muitos atletas circulando, muitos passeios, coisas para ver, então não daria certo."

Sendo assim, caso a seleção chegue à decisão, ela ficará novamente concentrada na pequena cidade de Saint Albans, a cerca de 40 quilômetros de Londres, completamente isolada do agito olímpico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.