Sem apoio, César Cielo detona dirigentes da CBDA

Campeão olímpico pede mais respeito e diz que 'continua com a mesma conta bancária de antes'

AE, Agencia Estado

02 de setembro de 2008 | 18h43

César Cielo, atleta do Pinheiros, detonou nesta terça-feira a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA). O campeão olímpico dos 50 metros livre disse que desistiu de disputar o Troféu José Finkel de Natação por causa da falta de apoio da entidade.   "Não associo a imagem da minha vitória com a CBDA. Muito pouco da minha conquista tem a ver com eles", atacou o atleta em entrevista no Parque Aquático do Corinthians. "O que importa é que, querendo eles ou não, sou campeão olímpico pelos próximos quatro anos. E isso eles terão que engolir."   De acordo com o nadador, sua situação financeira não mudou após a conquista do ouro. "Continuo com a mesma conta bancária de antes. Desde que me tornei profissional, em março, paguei tudo: alimentação, hospedagem e até o meu técnico [o australiano Brett Hawke]", afirma.   A única pessoa ligada à CBDA que recebeu elogios do nadador foi Ricardo de Moura, diretor-técnico da entidade. "Ele merece todos os elogios. Foi o Ricardo quem conseguiu fazer que o Brett pudesse ficar comigo em Pequim, enfrentando todas as críticas e a ciumeira de outros atletas e técnicos."   Cielo deveria ter disputado as eliminatórias dos 50 metros livre já na tarde desta terça, mas não entrou na piscina. "Não vou nadar, mas continuo inscrito na competição. Acredito que não irei competir neste Finkel, e creio que o clube vencerá esta competição mais uma vez. Mas se precisarem de mim, lá na frente, posso entrar num revezamento. Se bem que, do jeito que estou, vou acabar atrapalhando", afirmou César Cielo. (Com Amanda Romanelli, de O Estado de S. Paulo)   Atualizado às 20h05 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.