Helvio Romaro/AE - 8/3/2011
Helvio Romaro/AE - 8/3/2011

Sem dinheiro, Palmeiras quer reforços 'baratos e jovens'

Clube, que já acertou com Maikon Leite, agora vai atrás de jogadores alinhados com a política financeira do clube

DANIEL AKSTEIN BATISTA, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2011 | 00h00

SÃO PAULO - O torcedor palmeirense que imagina um time diferente para a disputa do Campeonato Brasileiro pode começar a se acostumar com o elenco que fracassou neste primeiro semestre. O técnico Luiz Felipe Scolari avisou que a equipe não vai sofrer muitas mudanças, e que apenas dois ou três jogadores serão contratados.

Após a inútil vitória de 2 a 0 sobre o Coritiba na quarta-feira (a equipe paranaense ficou com a vaga nas semifinais da Copa do Brasil), Felipão falou que um lateral-direito seria anunciado até hoje pela diretoria. Paulo Henrique, do Paraná, é o mais cotado. "Temos de contratar alguém com o perfil do Palmeiras no momento: jovem e barato", disse o treinador.

Ele explica à torcida que hoje é impossível pensar em contratações de peso. "Nós temos uma dificuldade (financeira) grande e não podemos ter muitos sonhos."

Além do lateral-direito, o Palmeiras busca alguém para a esquerda e para a zaga - Danilo já está negociado com a Udinese e deixará o clube em junho. A diretoria já foi atrás de Henrique, mas o Barcelona pediu muito para negociá-lo. Reforço certo mesmo é Maikon Leite, que já está fechado com o Palmeiras e vai chegar em julho.

Com a eliminação na Copa do Brasil, Scolari vai ter diversas reuniões com o presidente Arnaldo Tirone e o vice de futebol, Roberto Frizzo, para definir o time para o Brasileiro. "Entramos (na competição) como uma das grandes equipes e, se não tivermos um tropeço como aquele (os 6 a 0 para o Coritiba semana passada), teremos as mesmas condições. Com um bom trabalho, vamos brigar pelos primeiros lugares", garantiu.

Agora vai. Arnaldo Tirone e Walter Torre vão se reunir na manhã desta sexta-feira para definir a situação da Arena Palestra - o palmeirense promete entregar a escritura assinada. Mesmo assim, as obras no estádio palmeirense seguirão paradas hoje.

De acordo com a empresa, o acerto só não aconteceu ontem por pequenos detalhes. "Os advogados estavam ajustando as minutas do contrato, não tem nenhum problema", explicou Rogério Dezembro, diretor de novos negócios da WTorre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.