EFE/EPA/CHRISTOPHE PETIT TESSON
EFE/EPA/CHRISTOPHE PETIT TESSON

Sem medalhas, Brasil encerra Grand Slam de Judô em Paris com 5º lugar de Ellen Santana

Brasileira perdeu disputa do bronze para holandesa Hilde Jager, na categora até 70kg

Redação, Estadão Conteúdo

17 de outubro de 2021 | 14h21

A 50ª edição do Gram Slam de Paris, tradicional etapa do Circuito Mundial de Judô, terminou neste domingo sem medalhas para o Brasil. O melhor desempenho entre participantes brasileiros foi o de Ellen Santana, que chegou até a disputa do bronze na categoria de 70 kg, mas foi derrotada pela holandesa Hilde Jager e terminou a competição na quinta colocação.

A trajetória de Ellen na capital francesa, onde será realizada a Olimpíada de 2024, começou direto nas quartas de final, já que ela chegou ao torneio como número 28 do mundo. A brasileira passou pela britânica Jemima Yeats-Brown, por um wazari, e foi enfrentar a japonesa Saki Niizoe nas semifinais, em disputa na qual foi derrotada com um ippon.

Na sequência, Ellen fez uma luta equilibrada contra Jager na disputa pelo bronze, conquistado pela holandesa faltando 12 minutos para o fim do tempo regulamentar, quando encaixou um wazari na adversária. A quinta colocação rendeu 360 pontos para a judoca do Brasil no ranking mundial da Federação Internacional de Judô (IJF).

Também neste domingo, o meio-pesado Lucas Lima ficou com a sétima colocação nos 100kg e teve o melhor desempenho brasileiro dentro das categorias masculinas. Após vencer Gonchigsuren Batkhuyag, da Mongólia, nas oitavas de final, ele foi derrotado pelo croata Zlatko Kumric, nas quartas, e pelo francês Cedric Olivar, na repescagem.

Nos dois dias da competição, iniciada no sábado, Jéssica Pereira (57kg), Renan Torres (66kg), Willian Lima (66kg), David Lima (73kg), Guilherme Schimidt (81kg), Marcelo Gomes (90kg) e João Cesarino (+100kg) também representaram o Brasil e caíram na primeira luta. Natasha Ferreira (48kg) chegou a vencer nas oitavas, contra Katharina Tanzer, da Áustria, mas caiu para a vice-campeã mundial Koga Wakana, do Japão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.