Marcio Fernandes/ Estadão
Marcio Fernandes/ Estadão

Sem ondas, organização adia disputa do Pipe Masters no Havaí

Previsão é que mar tenha condições melhores entre terça e quarta

PAULO FAVERO, Enviado especial ao Havaí, Estadão Conteúdo

14 de dezembro de 2015 | 16h41

Mais uma vez a organização do Pipe Masters decidiu não realizar a disputa da última etapa do ano do Circuito Mundial de Surfe por causa da falta de boas ondas na praia de Pipeline, no Havaí. Mas se nesta segunda-feira foi declarado "lay day", ou seja, dia sem disputas, as perspectivas para os próximos dois dias são animadoras.

Na terça-feira está prevista a chegada de uma nova ondulação em Pipeline, com ondas de quatro a seis pés, ou seja, que chegam a dois metros de face, e no dia seguinte o mar estará um pouco maior, com ondas de seis a nove pés, ou seja, com até três metros de face. Isso deve ser suficiente para terminar a etapa que define o campeão de 2015.

A intenção é aproveitar os dois dias de disputa para fazer todas as baterias que faltam para acabar o evento, pois a partir de quinta-feira a ondulação perde força e a chance de boas ondas cai drasticamente. Vale lembrar que a janela de disputa do Pipe Masters vai até domingo, dia 20 de dezembro.

Se na terça realmente a organização optar por iniciar a terceira fase da competição, nesse dia poderá sair o campeão caso alguns candidatos ao título sejam eliminados precocemente. Ainda estão na briga os brasileiros Filipe Toledo, Adriano de Souza e Gabriel Medina, e os australianos Mick Fanning e Julian Wilson. No total, faltam mais 27 baterias para terminar a etapa, ou seja, um dia e meio com boas ondas é suficiente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.