Sem recorde, Geoffrey Mutai vence Maratona de Berlim

O queniano Geoffrey Mutai venceu neste domingo a Maratona de Berlim ao superar o compatriota Dennis Kimetto, mas fracassou na tentativa de bater o recorde mundial. O atleta concluiu a prova em 2h04min15, 37 segundos mais lento do que a melhor marca de todos os tempos, registrado por Patrick Makau, com 2h03min38, na edição de 2011 da prova alemã.

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2012 | 11h33

De qualquer forma, Mutai obteve o melhor tempo de ano na maratona. Ele acelerou o ritmo no último terço da corrida, quando apenas Kimetto conseguiu acompanhá-lo. Os dois estavam em ritmo de recorde mundial, mas diminuíram nos últimos dois quilômetros. "Nós diminuímos no final. Eu tentei forçar, mas vi que não poderia fazê-lo porque tive um problema com uma das minhas pernas", disse Mutai.

Kimetto foi apenas um segundo mais lento do que Mutai, sendo o mais rápido estreante da história da maratona, deixando de fora a Maratona de Boston, que não é levada em consideração para recordes. O também queniano Geoffrey Kipsang, de apenas 19 anos, terminou a prova em Berlim na terceira colocação, com o tempo de 2h06min12, em sua primeira maratona.

Mutai, de 30 anos, já tem o tempo mais rápido já registrado na maratona, quando venceu a prova de Boston em 2011 em 2h03min02. Porém, por causa do percurso da prova norte-americana, esta marca não é reconhecida como recorde mundial. Excluindo Boston, Mutai e Kimetto registraram neste domingo a quarta e quinta mais rápidas marcas da história.

Mutai também venceu a Maratona de New York no ano passado, mas vinha tendo uma temporada ruim até este domingo. Ele sofreu com o calor e teve que abandonar a Maratona de Boston, um dos fatores que levaram as autoridades quenianas a deixá-lo fora da equipe olímpica. Em Londres, a medalha de ouro foi conquistada por Stephen Kiprotich, de Uganda, que não participou neste domingo da Maratona de Berlim, assim como Makau.

A etíope Aberu Kebede venceu a versão feminina com o tempo de 2h20min30, à frente de Tirfi Tsegaye, que cronometrou 2h21min19. Olena Shurhno, da Ucrânia, ficou em terceiro lugar, com 2h23min32.

Assim, a etíope, de 23 anos, repetiu o seu título de 2011 na Alemanha e registrou a melhor marca da sua carreira. Ela, porém, não conseguiu bater o recorde da Maratona de Berlim, que é da japonesa Mizuki Noguchi, com 2h19min12 em 2005.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.