Sem Valdivia, Kleina muda perfil do time

Ausência do chileno obriga treinador a repensar o esquema tático e ainda descobrir um novo armador

O Estado de S.Paulo

17 de março de 2013 | 02h07

Valdivia mostrava em campo que realmente tinha mudado. O chileno havia assumido o posto de organizador do time, arrancando elogios até de quem já havia desistido de apostar nele, mas uma nova lesão na coxa acabou com essa história. Azar de Gilson Kleina que tem pela frente o desafio de conseguir suprir a carência do astro chileno, que deve desfalcar o time por um mês.

"O Valdivia assumiu uma liderança em campo que eu cobrava dele há tempos. Ele passou a ser a parte cerebral do time", explicou o treinador, que agora vê seu time ficar sem um cabeça pensante. E mesmo com a chegada de 15 reforços, nenhum deles têm um perfil parecido com o do meia chileno.

Teoricamente, os dois mais cotados a assumir o posto de "mago por um mês" são Patrick Vieira e Rondinelly. Mas, por mais que eles consigam jogar bem, o time vai sentir a ausência do chileno, principalmente pela sua facilidade em tirar os adversários do sério como fez diante do Paulista e no clássico contra o São Paulo, quando o pentacampeão Lúcio perdeu a cabeça e foi expulso por agressão.

A lesão de Valdivia, por outro aspecto, pode obrigar Kleina a mudar o perfil do time. Como Valdivia não marca bem, o treinador teve de armar um esquema tático especial, sempre com três volantes, para dar liberdade ao chileno. Agora tem a chance de usar dois volantes e dois meias.

No clube, é consenso que Valdivia tem sofrido com lesões nesta temporada em decorrência de sua irresponsabilidade no passado. Hoje, ele tem sido um exemplo para os mais jovens e parece ter percebido a importância para o time e que, se não se ajudasse, ninguém o ajudaria.

"Ele aquece antes de todo mundo e se prepara melhor do que nós. Ele é um cara que estava se dedicando bastante, trabalhando e sendo elogiado. Espero que quando ele volte faça bem tudo de novo", disse Patrick Vieira, que no ano passado assumiu a vaga deixada pelo chileno na reta final do Brasileiro.

Com a nova lesão de Valdivia, o comando do Palmeiras pode rever o projeto de dar um tempo em novas contratações, em especial de um meia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.