Sem verba, cavaleiro sonha com a Copa

Marcelo Lemes de Souza é exceção no mundo caro e elitizado do hipismo. Aos 31 anos, o gaúcho de Porto Alegre conquistou uma vaga para competir na final da Copa do Mundo, que será realizada no mês que vem, em Milão, mas não tem verba necessária para representar o País. O cavaleiro está se virando para conseguir realizar seu sonho. "Fazendo o máximo de economia possível em hotel e outras coisas, creio que precisaria de US$ 35 mil. É muito dinheiro, mas só o transporte aéreo do cavalo, ?Wembley da Lagoa?, já custaria metade disso", diz Marcelo, que conquistou a vaga na final da competição porque foi o campeão da Liga Sul-Americana, dividida em sete etapas entre abril e novembro do ano passado.Marcelo está participando do Torneio de Verão do Clube Hípico Santo Amaro, onde tentou rifar um cavalo para conseguir dinheiro, mas foi impedido. "Ganhei um cavalo novo, de dois anos, do Haras da Lagoa, de Porto Alegre. Ingenuamente, resolvi rifar o animal, mas fui impedido porque a Receita Federal não permite que isso seja feito. Fiquei bem triste, mas ainda espero que eu consiga alguma ajuda para viajar."O cavaleiro convive com dificuldades financeiras há muito tempo. O envolvimento com hipismo veio por acaso. "Eu estudava em uma escola estadual dentro de uma unidade militar, onde meu pai trabalhava. Quando saía da escola, ia direto ficar com o pessoal da cavalaria", conta. "Uma das pessoas que trabalhava lá me chamou para trabalhar com cavalos na Hípica de Porto Alegre. Só que como eu era de família humilde, não tinha como freqüentar o lugar. Em troca de montar quatro cavalos, eles pagavam para eu entrar na hípica", assinala.Até hoje Marcelo se desdobra para manter-se como cavaleiro. "Dou clínicas em todo o Brasil que duram de três a quatro dias, e consigo algum dinheiro com as premiações das competições. Além disso, sou professor. Trabalhei a vida toda com cavalos, me dá aflição de pensar em não ir à Copa do Mundo, mas ainda tenho fé de vai dar certo."

Agencia Estado,

06 de março de 2004 | 10h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.