''Semana de clássico é dose''

Vanderlei Luxemburgo se diz ansioso com o jogo de amanhã

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

15 de março de 2008 | 00h00

Após a suada vitória sobre a Ponte Preta por 2 a 1, na quarta-feira, Vanderlei Luxemburgo afirmou que "tem surgido oportunidades importantes para crescer".Além daquele jogo, o treinador palmeirense se referia à virada sobre o Bragantino por 5 a 2 e ao triunfo no clássico contra o Corinthians (1 a 0). Amanhã, o Palmeiras tem mais um desafio para mostrar que está pronto para brigar pelo título. Enfrenta o São Paulo, às 16 horas, em Ribeirão Preto. E o treinador não nega: "Semana de clássico é dose."Assim como fizera contra o Corinthians, Luxemburgo adotou o mistério também para o jogo de amanhã. Treino secreto, jogadas ensaiadas e segredo quanto ao substituto do volante Pierre, suspenso. O mais provável é a escalação de Wendel. Uma coisa o treinador não esconde de ninguém: não há nenhum atleta no grupo com as mesmas características de Pierre. "Eu sou como o Santos Dumont, vou inventar algo qualquer", falou, aos risos. "Não posso falar o que vou fazer, o Muricy está atento."Luxemburgo confirma que está de olho no adversário, estudando detalhes e precavido. Não quer ser surpreendido por nenhuma jogada tricolor. "Tem uma porção de gente me informando", contou. O treinador só não quer saber de seu time ser o favorito no jogo, assim como disse o são-paulino Rogério Ceni. "Um time pode estar pior que o outro e vencer. Essas regras preestabelecidas não existem. Clássico é situação diferente", disse. "Clássico é o momento nobre do futebol. A vida dos clubes não termina após esse jogo, e valorizar mais do que isso é complicado", falou Luxemburgo, preocupado com uma possível queda de rendimento do time caso venha a derrota - mesmo discurso que usou na véspera da partida contra o Corinthians. "Não é o jogo da vida."Amanhã, o Palmeiras tenta manter uma boa seqüência de sete jogos sem derrota no Estadual (com cinco vitórias). Para isso, contará com o retorno do goleiro Marcos e dos habilidosos meias Valdivia e Diego Souza. Denilson, assim, vai para o banco de reservas. Com 25 pontos, na quarta colocação, o triunfo amanhã deixará o Palmeiras mais perto das semifinais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.