Semenya pode voltar a competir, diz técnico

O técnico de Caster Semenya, campeã mundial dos 800 metros, afirmou nesta quarta-feira que a sul-africana está liberada para participar de competições internacionais. A atleta é alvo de investigação sobre o seu gênero.

AE-AP, Agencia Estado

13 de janeiro de 2010 | 12h37

Michael Seme disse que não tem muitos detalhes, mas que foi informado pelos advogados de Semenya sobre a permissão para atleta competir. "Ela vai correr em competições internacionais", disse o técnico, que explicou que a atleta vai participar primeiro de eventos locais.

Semenya nunca foi suspensa oficialmente pela Federação Internacional das Associações de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês), diante da pendência quanto ao resultado do teste de gênero da atleta sul-africana.

A Iaaf, porém, ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso de Semenya. "Ainda estamos na posição de antes [a Iaaf afirmou anteriormente que não se pronunciará antes do fim do inquérito] e eu não posso te dizer quanto tempo o inquérito vai durar", disse Nick Davies, porta-voz da entidade.

Horas antes da final dos 800 metros no Mundial de Berlim, em agosto de 2009, a Iaaf ordenou a realização de exames por Semenya, diante das suspeitas surgidas por conta do seu corpo musculoso e da rápida evolução de seus tempos. E a polêmica colocou o seu futuro no atletismo em dúvida.

Semenya também realizou testes na África do Sul, antes do Mundial de Atletismo. Em setembro de 2009, um jornal australiano afirmou que a sul-africana teria órgãos sexuais masculinos e femininos, mas a Iaaf se recusou a confirmar as acusações.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoCaster Semenya

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.