Divulgação
Divulgação

Senna: marcar pontos será fundamental

Bom desempenho no GP do Brasil pode contribuir para piloto ficar na Lotus Renault em 2012

Valéria Zukeran, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2011 | 03h04

SÃO PAULO - Para muitos pilotos, o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 só vai servir para cumprir tabela. Não é o caso de Bruno Senna. O piloto da Lotus Renault sabe que uma boa atuação em Interlagos pode ser fundamental para seus planos de ficar como piloto principal na escuderia em 2012.

"A gente está lutando, em primeiro lugar, para ficar neste assento. Mas vai depender do (Robert) Kubica (companheiro de equipe, que se recupera de um acidente), do (Romain) Grojean (o outro piloto de testes, que luta por uma vaga entre os pilotos ), do patrocínio, enfim, de um monte de coisas que, infelizmente, não estão sob nosso controle. A gente tem de ter todos os fatores juntos para conseguir funcionar", explica Senna sobre sua atual situação para 2012.

Um fator importante será a definição dos médicos sobre a volta de Kubica, que está afastado das pistas desde fevereiro, quando sofreu uma acidente durante o rali que lhe rendeu uma séria lesão no lado direito do braço e do ombro. "A equipe não vai esperar até o meio do próximo ano para decidir. Espero que não demore tanto", diz Senna.

Se a confirmação da temporada na Lotus Renault não acontecer, o brasileiro garante ter plano B sobre o qual não quis adiantar muitos detalhes

O piloto, no entanto, está muito otimista quanto às suas chances de continuar disputando provas na categoria máxima do automobilismo. "Internamente, na equipe, tenho uma imagem muito boa mas, porque o carro foi perdendo desempenho em relação aos outros na segunda parte do campeonato, a gente ficou em uma situação na qual parecemos andar menos", explica. "Então, se eu conseguir marcar alguns pontos, será uma ótima forma de terminar o campeonato e, possivelmente, começar o do ano que vem."

A experiência do GP do Brasil do ano passado, segundo Senna, não contará muito por causa da mudança do carro e dos pneus da temporada 2010 para a atual. O piloto relata que, em nenhuma das provas nas quais atuou este ano as referências do passado foram muito úteis. "Andar nas duas sessões de sexta-feira aqui (em Interlagos) será mais importante do que qualquer outra coisa", avalia.

FAMÍLIA E TORCIDA

O piloto pondera que, se as mudanças na Fórmula 1 não lhe favoreceram para este ano, o público pode ser um diferencial positivo. "Realmente, o carinho do torcedor dá uma energia extra na hora da prova", admite Senna.

E outro apoio importante virá dos boxes. "A família vai vir, com toda a sua força", diz o piloto, com satisfação. Depois da morte do tio, Ayrton, em 1994, em um acidente no GP de Ímola, uma parte do clã havia se afastado de qualquer coisa relacionada a automobilismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.