Serena é campeã pela 4ª vez em NY

Nova conquista veio após um jogo emocionante diante da bielo-russa Victoria Azarenka, por 2 a 1, com 6/2, 2/6 e 7/5

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2012 | 03h04

Em uma final bem disputada, principalmente no terceiro set, Serena Williams (4.ª do mundo) venceu a bielo-russa Victoria Azarenka por 2 a 1 (6/2, 2/6 e 7/5) e sagrou-se tetracampeã do Aberto dos Estados Unidos. Foi a décima vitória da americana sobre a adversária contra uma única derrota sofrida (em 2009).

No primeiro set, como fez ao longo de todo o torneio, quando não perdeu nenhum set, Serena deu um show de força e eficiência e arrasou a adversária por 6 a 2. A impressão é que a partida seria rapidamente resolvida.

Puro engano, no set seguinte Azarenka deu o troco e devolveu o placar, mostrando que não é a líder do ranking de graça.

Mas o terceiro set, este sim, foi muito disputado e digno de uma final de Grand Slam. Só depois de um duro empate por 3 a 3, a bielo-russa conseguiu abrir uma cômoda vantagem por 5 a 3 e tudo parecia caminhar para a sua segunda vitória sobre a adversária, mas Serena reagiu, empatou por 5 a 5 e em seguida passou à frente com 6 a 5. O tetra veio com o 7 a 5 final.

O tetracampeonato conquistado ontem só veio mostrar a grande temporada que Serena está tendo. Venceu Wimbledon em junho e ganhou a medalha de ouro na Olimpíada de Londres.

Djokovic na final. No masculino, depois de um início de jogo complicado, Novak Djokovic (n.º 2) tomou as rédeas da partida e venceu de virada o espanhol David Ferrer por 3 a 1 (2/6, 6/1, 6/4 e 6/2) e se classificou para disputar às 17 horas de hoje (horário de Brasília) a final do US Open contra o britânico Andy Murray, campeão olímpico, mas que busca o primeiro troféu de Grand Slam da carreira. Já o sérvio tenta seu segundo título no torneio americano.

Nos quatro confrontos em que se enfrentaram este ano, os dois tenistas estão rigorosamente empatados, com duas vitórias cada um. No entanto, a vantagem no geral é do sérvio: oito triunfos contra seis derrotas.

"Com certeza é um alívio enorme passar por esta partida. Ferrer é um grande competidor", disse Djokovic após a vitória.

A semifinal entre os dois começou a ser disputada no sábado, mas teve de ser interrompida por ameaça de tempestade, recomeçando ontem com a derrota parcial do sérvio por 5 a 2. Mesmo com o sol brilhando ontem e sem os ventos que tanto o atrapalharam na véspera, Djokovic não conseguiu evitar a derrota no primeiro set por 6 a 2.

Pior para Ferrer, pois foi como se cutucasse a fera com vara curta. No segundo set, Djokovic assumiu o comando do jogo e dominou o adversário completamente até o final da partida, chegando a vencer 18 dos 25 games seguintes para enfim alcançar sua nona final de Grand Slam.

"Estávamos todos rezando por menos vento hoje", afirmou Djokovic, que conquistou os três últimos torneios de Grand Slams que jogou em piso rápido.

Como no set anterior, o número 2 do mundo começou quebrando o serviço de Ferrer que reagiu e devolveu a desvantagem no quarto game. Só que a reação parou aí, pois Djokovic voltou a superar o saque do rival.

No quarto set, o sérvio quebrou o saque do espanhol quatro vezes. Era o fim das esperanças para Ferrer; Djokovic caminhava para sua terceira final consecutiva do US Open.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.