Shields 'anula' Demian e vence no UFC Barueri por decisão dividida

Em casa, estrela da noite briga até o fim, mas não corresponde às expectativa da torcida

Bruna Toni, Guilherme Dorini e Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2013 | 00h52

BARUERI - Em uma noite em que todas as lutas tiveram brasileiros em cima do octógono, a maioria correspondeu às expectativas. Dos 11 lutadores do País que participaram do UFC Barueri, em São Paulo, oito venceram. Os dois principais nomes do evento, porém, acabaram fora desta lista. Enquanto Erick Silva, uma das grandes apostas nacionais no MMA, foi nocauteado pelo sul-coreano Dong Hyun Kim, Demian Maia, protagonista da noite, acabou perdendo para o norte-americano Jake Shields por decisão dividida dos jurados.

 

Depois de três vitórias consecutivas desde que desceu para a categoria dos meio-médios, Demian Maia perdeu a invencibilidade na noite desta quarta-feira, e, com isso, afastou a chance de poder voltar a lutar por um cinturão do UFC. Com o domínio do jiu-jítsu, o lutador paulista tentou levar o combate para o chão nos cinco rounds. Jake Shields, que também domina bem a luta de solo, entrou nesse jogo, mantendo o duelo muito equilibrado, mas anulando por diversas vezes uma reação eficaz do dono da casa. O brasileiro venceu claramente os primeiro e terceiro rounds enquanto o segundo ficou por conta do norte-americano. A polêmica, que foi o tema de grande parte das perguntas na coletiva de imprensa pós-evento, se concentrou nos dois últimos rounds. Para Maia e muitos fãs do esporte, os árbitros erraram ao dar a vitória para Shields.

 

Se a decisão dos juízes pode ser contestada no caso de Demian, o mesmo não ocorre com a luta de Erick Silva. Claramente melhor na maior parte do tempo, o capixaba entrou no octógono bastante agressivo. Apostou na trocação na busca por um nocaute e se defendeu bem com o seu jiu-jítsu. Mas o problema é que seu rival, Dong Hyun Kim, não ficou para trás. Com um ótimo desempenho, o sul-coreano aproveitou a primeira chance que teve no segundo round para nocautear o brasileiro, que tombou no octógono e, sem reação, permaneceu deitado por um bom tempo. Não à toa, Dong ficou com o prêmio de melhor nocaute da noite e saiu aplaudido pela torcida verde e amarela.

 

Outro destaque da noite, mas dessa vez positivo, foi Thiago Silva. O lutador, que não bateu o peso na terça-feira e acabou perdendo parte do dinheiro que levaria pela participação do evento em Barueri, conseguiu uma boa vitória por decisão unânime dos jurados na noite desta quarta. Além dele, o peso-galo Raphael Assunção chegou à quinta vitória consecutiva no UFC (decisão dividida), ganhou o bônus de melhor luta da noite contra TJ Dillashaw e ganha pontos para uma futura disputa de cinturão da categoria. A única finalização do evento em Barueri, que contou com cerca de 5.300 pessoas na plateia, foi do brasileiro Rousimar Toquinho. Em menos de um minuto, o brasileiro deu uma chave de perna no adversário norte-americano e garantiu, além da ótima vitória, o prêmio de melhor finalização do evento.

Tudo o que sabemos sobre:
UFCDemian MaiaUFC Barueri

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.