Silvana Lima é campeã em Saquarema

A cearense Silvana Lima se sagrou campeã feminina do SuperSurf 2004 e da etapa de Saquarema, neste domingo. O título brasileiro veio com a eliminação da paulista Suelen Naraisa, na semifinal - perdeu para a carioca Andrea Lopes, por 9,83 pontos a 9,27. Na decisão, Silvana ganhou de Andrea, por 7,84 a 6,46. O clima colaborou para o encerramento do SuperSurf 2004. Depois de dois dias parcialmente nublados, o domingo amanheceu ensolarado em Saquarema e o público ganhou animação para acompanhar as baterias decisivas na praia de Itaúna. MASCULINO - O surfista Renato Galvão, de Ubatuba, fechou em grande estilo sua participação na quinta e última etapa do SuperSurf 2004, na praia de Itaúna, em Saquarema (RJ). Campeão brasileiro por antecipação, Galvão também conquistou o título da etapa, ao bater o catarinense Andreas Eduardo, na final, por 10,74 pontos a 4,63. Pela vitória, o surfista de 22 anos faturou R$ 22 mil em prêmios e 1.000 pontos no ranking nacional - chegou a 3.470, após a competição. "Essa conquista abrirá muitas portas na minha carreira", acredita Galvão. "Terei a chance de disputar a etapa do WCT (Circuito Mundial) este ano, em Florianópolis, e em 2005, de viajar mais, pegar melhores ondas e crescer", disse o surfista, em meio a vários pedidos de fotos com os fãs. A bateria final foi equilibrada, em razão dos ventos noroeste, que não proporcionaram a formação de ondas de qualidade, dificultando as manobras. Mas Galvão mostrou categoria, conseguiu boa nota numa das primeiras ondas da disputa, e administrou a vantagem. "Tive sorte de achar a onda certa, o mar estava difícil", comentou Galvão, que eliminara o carioca Yuri Sodré na semifinal (9,4 pontos a 5,4). Andreas Eduardo ficou com o vice-campeonato em Saquarema, seguido por Sodré e Crhistiano Spirro, também do Rio, eliminados na semifinal, que terminaram em 3.º lugar. SUCESSO - Ao final das cinco etapas do circuito, a avaliação dos organizadores do SuperSurf 2004 é positiva, tanto no retorno de mídia quanto na competitividade. "No primeiro SuperSurf, no ano 2000, precisávamos explicar para os patrocinadores o que era o surf. Hoje, além das empresas que renovaram os compromissos, temos anunciantes interessados em futuros contratos", conta Evandro Abreu, gerente de produtos do Grupo Abril, principal organizador do SuperSurf. Para Evandro, a diminuição do preconceito com o esporte facilita o planejamento. "O estigma de que o surf é um esporte marginal está acabando", acredita. As cinco etapas do SuperSurf - Florianópolis, São Sebastião, Ipojuca (CE), Ubatuba e Saquarema - reuniram a maioria dos principais surfistas do país. Para 2005, a premiação geral aumentará de R$ 120 mil para R$ 132 mil por etapa. Já estão confirmadas as disputas em Ubatuba, Maresias e Saquarema. Outras duas sedes serão escolhidas entre Salvador, Florianópolis e o Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.