Sinalizador foi disparado após o gol

O sinalizador atingiu o garoto Kevin Douglas Beltrán logo depois de o atacante Guerrero ter feito o gol do Corinthians, aos cinco minutos do primeiro tempo. O artefato foi disparado na direção da torcida do San Jose no momento em que os corintianos esticavam um bandeirão da organizada Camisa 12 - uma emissora de televisão da Bolívia flagrou o lançamento.

O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2013 | 02h04

Kevin morreu quase que instantaneamente após ter sido atingido pelo sinalizador. "Houve perda de massa cerebral quando o projétil, um tubo plástico, penetrou no crânio", disse o médico José Maria Vargas no Hospital Obrero, em Oruro. Segundo os policiais, o garoto morreu enquanto recebia os primeiros socorros, ainda no estádio.

A tragédia não impediu que a partida continuasse, mas o estádio se transformou num caldeirão. Parte da torcida do San Jose passou a chamar os corintianos de "assassinos" quando foi informada da morte do jovem.

Dirigentes e integrantes da comissão técnica do Corinthians, que vestiam agasalhos do clube, precisaram ser retirados do camarote. "O foguete caiu a uns 15 metros do local onde a gente estava, foi muito próximo. Vimos o desespero das pessoas. As pessoas começaram se voltar contra a gente, xingando e jogando coisas. Nós entendemos a revolta de todos, preferimos deixar o camarote e voltamos para os vestiários para aguardar o fim do jogo", disse o gerente de futebol Edu Gaspar.

A confirmação oficial de que Kevin havia morrido veio no início do segundo tempo. A revolta dos torcedores aumentou ainda mais e eles começaram a jogar objetos no gramado. Os jogadores reservas que estavam se aquecendo tiveram de ser protegidos por escudos da polícia e mudaram de local. Os titulares disseram que só souberam do acidente depois do fim do jogo.

A diretoria do Corinthians decretou luto oficial de sete dias e os jogadores atuarão com uma tarja preta no braço nas partidas contra Bragantino e Millonarios, dias 24 e 27, respectivamente. / G.Jr, R.R. e V.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.