Sintonia entre técnico e clube é diferencial do Santo André

Sérgio Soares começou a carreira no time do ABC e lá conquistou o título da Copa do Brasil (2004) e o acesso no Brasileiro (2008)

, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2010 | 00h00

Confirmar a imagem de time com a segunda melhor campanha do Campeonato Paulista, que brigou até as últimas rodadas pela liderança com o poderoso Santos, é o desafio do Santo André, às 18h30, em Presidente Prudente, contra o Grêmio.

Para isso, conta com a estrela de um técnico com identificação impressionante com o clube. Em 2004, ainda sem nenhuma experiência - começou como auxiliar no próprio clube um ano antes - , Sérgio Soares, hoje com 46 anos, aceitou o desafio de comandar o Santo André na Copa do Brasil e levou o time à sua primeira conquista nacional. Depois, ainda conseguiria um acesso com o Grêmio Barueri (atual Grêmio Prudente) da Série C para a B do Brasileiro, em 2006, e voltaria a brilhar pelo Santo André, levando o time da B para A em 2008. "Tenho uma identificação muito grande. Conheço a estrutura e também todas as dificuldades do clube. Entendo as limitações, coisa que outros treinadores não entenderiam."

Nem o rebaixamento do ano passado para a Série B do Brasileiro abalou a ligação entre técnico e clube. "Entendemos que havia a necessidade de uma reformulação e de tornar o time mais jovem, mas com qualidade. Mudamos os 22 jogadores e tiramos o peso do descenso do ano passado."

Hoje, no primeiro duelo da semifinal, vai contar com força máxima em busca de mais uma conquista na carreira. A volta do atacante Nunes, recuperado de dores no púbis, é a novidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.