Divulgação
Divulgação

Sinuca e squash querem ser modalidade olímpica em 2020

Modalidades querem aproveitar fato de cada comitê organizador escolher pela inclusão de novos esportes a cada edição

O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2015 | 14h44

Desde que o Comitê Olímpico Internacional (COI) passou a aceitar a disputa de novas modalidades nos Jogos Olímpicos, ficando a cargo de cada comitê organizador escolher pelas inclusões, os organizadores dos Jogos de Tóquio/2020 não param de receber federações internacionais interessadas.

Entre os novos interessados estão squash, sinuca e bilhar. As duas modalidades, que parecem similares, têm federações internacionais diferentes e regras distintas. Na sinuca, o objetivo é colocar as bolas nas caçapas. No bilhar, são só três bolas (branca, amarela e vermelha) e a mesa não tem caçapa. No Brasil, o jogo é conhecido como carambola.

O squash (modalidade de bola e raquete disputada em recinto fechado, com as quatro paredes sendo parte do jogo) já tentou ser incluído como modalidade olímpica em 2012, 2016 e 2020 e acredita ter uma nova chance com a possibilidade de ficar provisoriamente no programa, só nos Jogos de Tóquio.

Com forte presença na cultura japonesa, o beisebol/softbol é franco favorito no pleito. Caratê e wushu (conhecido no Brasil como kung-fu) também já demonstraram interesse, depois de perder, para a luta, a disputa para ser a última modalidade a entrar no programa de 2020 antes da recente decisão do COI.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaTóqueio2020

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.