Sistema defensivo é o que mais preocupa Leão no São Paulo

Em 2012, diretoria quer evitar a falta de jogadores na zaga que obrigou o clube a fazer contratações emergenciais neste ano

BRUNO DEIRO, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2011 | 03h06

O São Paulo arma o elenco para 2012 a partir da defesa para evitar a escassez de opções enfrentada durante todo o ano. A confirmação oficial de cinco atletas traz reforços de pouco peso, que vêm para retomar a concorrência dentro de um grupo que fracassou à base do improviso.

Os zagueiros Paulo Miranda (ex-Bahia) e Edson Silva, do Figueirense, chegam em igualdade de condições para brigar pela vaga ao lado de Rhodolfo. Os dois fizeram um bom Brasileiro e, após quatro anos, terão a segunda chance de brilhar em um grande clube: em 2008, Paulo Miranda defendeu o Palmeiras e Edson Silva, o Botafogo.

Com os dois, o Tricolor chega a sete zagueiros, mas o setor ainda pode sofrer mudança. "Corremos o risco de perder dois que já receberam proposta (Rhodolfo e Xandão interessam a clubes da Europa). Além disso, alguns jovens e plenamente capacitados pra jogar no São Paulo podem ser emprestados pra pegar experiência em outros clubes", disse o diretor de futebol, Adalberto Baptista, ao site oficial do clube.

Neste ano, o São Paulo passou por uma saia-justa por conta da falta de defensores. No início de setembro, Xandão, Bruno Uvini e Luiz Eduardo estavam suspensos e o clube teve de contratar às pressas João Filipe, do Botafogo. O zagueiro deu conta do recado na chegada, mas terminou o ano em baixa com Emerson Leão e terá de brigar para reconquistar a confiança do treinador.

Destaques. Apresentado como principal nome deste pacote, Bruno Cortês chega para ser titular e deixar o contestado Juan no banco. Cortês iniciou a temporada no Nova Iguaçú e terminou o ano como melhor lateral esquerdo do Brasileiro, defendendo o Botafogo - no meio do caminho, ainda defendeu a seleção brasileira. No São Paulo, tem a missão de retomar a trajetória ascendente, que teve uma queda junto com o Botafogo na reta final do Brasileiro.

No meio-campo, Fabrício é a contratação mais emblemática. O ex-volante do Cruzeiro é a aposta de liderança para o time, que perdeu poder de marcação desde a saída de Rodrigo Souto. Denilson, que seria o substituto natural, teve dificuldade de adaptação e "tomou conta" da posição como a diretoria esperava.

Já Maicon despontou no Figueirense e deve chegar para o lugar de Marlos, que foi posto à venda. Segundo Adalberto Batista, a diretoria busca dois ou três reforços para fechar o elenco e a ideia é trazê-los antes do início do Campeonato Paulista, marcado para o dia 21 de janeiro.

SÃO PAULO. SOMENTE RIVALDO E DAGOBERTO SAÍRAM ATÉ O MOMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.