Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Slater brinca ao falar sobre como parar Medina: 'Vodu'

Para faturar o 12º título mundial, surfista precisa vencer a etapa e torcer para que Medina caia na 1ª fase e Fanning não vá longe

PAULO FAVERO - ENVIADO ESPECIAL AO HAVAÍ, O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2014 | 08h57

A única chance de Kelly Slater ganhar seu 12º título mundial é vencer o Billabong Pipe Masters e torcer por um tropeço de Gabriel Medina logo de cara e de Mick Fanning nas primeiras rodadas. O norte-americano sabe que a missão é tão impossível que ele até faz graça com a situação.

"Sei o que preciso fazer: vencer a etapa. Não tenho outra escolha, como ser segundo ou terceiro no torneio. Sei o que preciso, o Gabriel sabe o que precisa, e o Fanning também. Espero que tenhamos boas ondas e que a competição seja boa. Que possamos fazer o Gabriel perder, quem sabe colocando umas agulhas em um boneco de vodu", brinca, entre risos.

O surfista está bem-humorado para a disputa da competição, ainda mais porque se lesionou semanas antes do Pipe Masters e correu o risco de não poder participar da disputa. Recuperado, mas ainda com um pouco de dores, ele sabe que precisa torcer contra seus adversários e ainda por cima arrebentar nos tubos da famosa praia.

Tanto que seus rivais não descartam uma façanha de Slater na disputa, ainda mais porque ele já conquistou sete vezes essa etapa no Havaí, um recorde até o momento. "A gente nunca saberá o que vai acontecer. O Kelly é um cara incrível e ele pode chegar bem longe em Pipeline", avisa Fanning.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.