Kristin Scholz/ASP
Kristin Scholz/ASP

Slater vence no Taiti e retoma liderança do ranking mundial

Americano bate Owen Wright e fica mais próximo do seu 11ª título mundial

AE, Agência Estado

29 de agosto de 2011 | 19h44

TEAHUPOO - Kelly Slater deu show nas ondas tubulares de Teahupoo, no Taiti, conquistou sua 44.ª vitória na elite do circuito de surfe e ficou mais próximo da façanha de levar o seu 11.º título mundial - assumiu a liderança do ranking. Nas ótimas condições do mar da polinésia francesa, o americano pegou dois tubos incríveis e bateu o australiano Owen Wright na grande final: 18,43 a 17,10. O americano conquistou seu quarto título nas ondas do Taiti, uma das etapas mais perigosas do circuito mundial - as ondas, perfeitas, quebram numa bancada muito rasa de corais pontiagudos. Slater homenageou seu maior rival e amigo Andy Irons, último campeão de Teahupoo, que morreu no final do ano passado.

Antes da final, o irmão de Andy, Bruce Irons, conhecido desbravador das maiores ondas do mundo, teve meia hora para surfar sozinho no local. Depois, entregou para o francês Jeremy Flores, que conseguiu contabilizar duas notas 10 em uma única bateria da competição, o troféu "Andy Irons Forever Awards", dedicado ao surfista mais empenhado do campeonato.

'CONDIÇÕES ÉPICAS'

A competição em Teahupoo ocorreu em meio a um dos maiores swells (ondulações) de todos os tempos no Taiti. O campeonato chegou a ser paralisado no sábado porque era impossível para os surfistas pegar ondas que chegavam a sete metros de altura na remada. Por outro lado, os melhores do mundo fizeram uma sessão de tow-in (puxada por jet-ski) inesquecível. Os brasileiros Carlos Burle, Maya Gabeira e Vitor Faria estavam lá - a carioca foi resgatada à beira de um afogamento e Faria teve uma fratura na perna direita. "Foram as maiores ondas que vi na minha vida", disse Slater.

O melhor brasileiro da competição foi Raoni Monteiro. Ele chegou às quartas de final do evento, sendo batido apenas pelo finalista Owen Wright. A atuação deve garantir a permanência de Raoni na elite do surfe a partir do próximo campeonato, em Nova York, que será disputado apenas pelos 32 melhores do ranking. Adriano de Souza, Gabriel Medina, Alejo Muniz, Jadson André e Heitor Alves também vão compor a equipe do País no evento mais rico do mundo - vai distribuir US$ 1 milhão em prêmios.

Tudo o que sabemos sobre:
SurfeKelly SlaterTeahupoo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.